Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Anhembi vai ter piscina, quadra e pista de caminhada, diz Covas

SPTuris afirmou que obra já foi iniciada; gestão da área será responsabilidade da futura concessionária

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 28 set 2020, 17h34 - Publicado em 28 set 2020, 17h28

O prefeito Bruno Covas afirmou que o Sambódromo do Anhembi irá virar área de lazer a partir do final de outubro. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (28). Em vez de privatizar, a prefeitura anunciou a concessão do espaço e a gestão da área será responsabilidade da futura concessionária.

Recebido no Anhembi por integrantes da São Paulo Turismo, a SPTuris, pela manhã, Covas explicou a decisão. “Faltam áreas de lazer na cidade de São Paulo, e aqui é um espaço bem localizado, muito pouco utilizado fora do período de carnaval, e que agora vai poder ser utilizado pela população durante a semana e depois aos finais de semana, quando os parques reabrirem”.

A SPTuris afirmou que a obra para montar uma área de lazer no Anhembi já foi iniciada com a adaptação dos 100 mil metros quadrados de área em um espaço multiuso. A pista onde desfilam as escolas de samba se tornará área de caminhada. O contorno do sambódromo será uma ciclofaixa com 2  quilômetros de extensão.

O setor A vai abrigar piscina de surfe e quadra de futevôlei. Logo em frente, será feito um memorial com exposições em parceria com a Liga das Escolas de Samba. O setor B terá foodtrucks e uma área pet em frente. No outro extremo do sambódromo será construído uma área para skate, patins e patinete.

O prefeito explicou como será a operação financeira para bancar os custos. “O investimento total é de R$ 350 mil, a custo zero para a prefeitura porque são contratos de manutenção que a SPTuris já têm e parceiros privados que estão colaborando, doando para a cidade de São Paulo. A expectativa é a de que o custo de manutenção seja de R$ 300 mil, e o espaço já entra na concessão do Anhembi. Deve ser inaugurado até a última semana de outubro, seguindo os protocolos sanitários que os parques estão seguindo”.

A gestão municipal diz que irá sugerir a concessionária da área a implantação de equipamentos de ginástica e a disponibilização de um espaço para brinquedos infláveis ou roda-gigante, por exemplo.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade