Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Protesto contra tarifa tem bombas e confusão em Pinheiros

Final de manifestação do Movimento Passe Livre teve vandalismo e confronto com policiais no Largo da Batata e região; ao menos duas pessoas foram detidas

Por Tatiane de Assis Atualizado em 17 jan 2018, 21h46 - Publicado em 17 jan 2018, 21h35

No final da noite de hoje (17), manifestantes que participavam do protesto contra o aumento da tarifa entraram em confronto com guardas que fazem a segurança da estação Pinheiros do metrô. O grupo chegou em bloco e atirou pedras em direção às catracas. A entrada foi fechada.

Pouco antes, no Largo da Batata,  m grupo de manifestantes usou lixo para montar uma barricada e bloquear vias. Na sequência, depredou uma agência bancária e caminhou pela Rua Pais Leme. A Polícia Militar usou bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo. Ao menos duas pessoas foram detidas.

Diante da reação, os manifestantes seguiram para a plataforma de ônibus, onde o fluxo dos ônibus continuava normal. O tumulto chegou até a esquina da Marginal Pinheiros com a Rua Sumidouro. A PM usou bombas para dispersar os manifestantes, que fugiram para dentro do bairro. Policiais e viaturas do Choque cercaram o local até as 21 horas e o trânsito de pedestres se mantinha restrito.

Convocado pelo Movimento Passe Livre começou no final da tarde na praça Ramos de Azevedo, em frente ao Theatro Municipal, na região central da capital. A concentração do protesto estava marcada para 17 horas na Rua Itália, nos Jardins onde mora o prefeito João Doria (PSDB). Mas mudou  de rota depois que as rua foi fechada e cercada por policiais.

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade