“Seus gays, merecem morrer”, teria dito o assassino de homem na Paulista

Testemunhas prestaram depoimento ao 78º Distrito Policial

Em depoimento ao 78º DP, nos Jardins, testemunhas do assassinato de Plínio Henrique de Almeida Lima, de 30 anos, que morreu após ser esfaqueado na Avenida Paulista, na zona central da capital, na noite de sexta-feira (21), disseram que o cabeleireiro, seu marido e um casal de amigos gays foram xingados pelo criminoso de “vidadinho, menininha”. O suspeito também teria dito “seus gays, merecem morrer”.

De acordo com a Polícia Civil, o crime ocorreu por volta das 22h no cruzamento com a Avenida Brigadeiro Luís Antônio. A Polícia Civil analisa as imagens das câmeras de segurança da avenida e do metrô para tentar identificar o assassino, que estava acompanhado de um amigo. O momento da facada não foi gravado, mas há registros da discussão entre o grupo e o agressor.

Ainda de acordo com as testemunhas, o homem que acompanhava o criminoso não proferiu ofensas. Após o ocorrido, a dupla fugiu em direção à estação Brigadeiro do metrô.

Plínio Lima foi socorrido para o Hospital das Clínicas, que fica próximo ao local do crime, mas morreu no local. A ocorrência foi registrada como homicídio qualificado por motivo fútil.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s