Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Modelo tem nariz e mandíbula quebrados por ex após término

Gabriela Casellato conta que ficou inconsciente durante a violência e agora precisa de dinheiro para cirurgia plástica pós-traumática

Por César Costa Atualizado em 3 fev 2021, 10h26 - Publicado em 1 fev 2021, 17h10

Gabriela Casellato Brito, manicure e modelo de 24 anos, registrou, no dia 17 de janeiro, um Boletim de Ocorrência (B.O.) contra o ex-namorado, Felipe José Pereira de Jesus. De acordo com o depoimento de Gabriela, ela foi agredida de maneira violenta dentro de seu próprio apartamento, tendo a mandíbula e o nariz quebrados. 

Em entrevista à VEJA SÃO PAULO, a manicure conta que o relacionamento com o empresário Felipe José teve um início tranquilo, mas que com o tempo, o compromisso foi se deteriorando.  

“No começo não tinha nada conturbado, nosso relacionamento era em paz. Ele não queria me controlar, controlar minhas amizades, as minhas roupas. Ele nunca tinha aumentado o tom de voz comigo e até condenava agressões de outras pessoas”, explica. “Com o tempo foi se agravando: ele começou a me xingar por motivos pequenos. Depois, me chamava de prostituta, vagabunda. Tudo que vinha na mente”.  

Gabriela diz que sua vida começou a “virar um inferno”, e que seu ex-namorado passou a agredi-la fisicamente. “A primeira vez que ele me agrediu foi queimando um cigarro na minha mão. No dia seguinte, fui em uma hamburgueria de um amigo dele com minhas amigas. Ele apareceu e me deu um tapa na cabeça, muito forte. As meninas queriam me levar na delegacia para denunciar, mas eu não quis. Na semana seguinte, ele veio conversar comigo, disse que ia mudar”. 

A modelo afirma que não aguentava mais ter contato com Felipe José e, por isso, decidiu terminar o relacionamento, o que aconteceu em 16 de janeiro. Na noite do mesmo dia, ela saiu com as amigas e voltou para casa na manhã de domingo, 17, quando foi agredida dentro de seu próprio apartamento. Apesar de ter alertado os porteiros para não deixarem o homem entrar, um novo funcionário acabou permitindo. 

“Ele arrombou minha porta. Obviamente acordei, mas logo depois eu perdi a consciência. Não consigo lembrar de nada. Ele me deu socos na cabeça e, quando levantei da cama, ele pegou o ventilador que estava ligado e deu com tudo na minha cara. Depois de ter acordado, com o rosto sangrando, vi que ele estava na cozinha separando gelo e remédio para dor de cabeça”, relata.

Gabriela notou que o seu celular estava com o ex-namorado. Ao pedir para devolvê-lo, ele gritou perguntando a senha. A discussão se encerrou com ela conseguindo o aparelho de volta depois do objeto ter sido jogado na bancada da casa. A vítima correu para a vizinha, onde ligou para polícia e foi levada ao Hospital Santa Marcelina. 

“Minha ficha ainda não caiu, não consigo entender tudo que aconteceu. Não consigo aceitar e acreditar”, desabafa. “Já fui alertada pelas minhas amigas. Não foi falta de aviso das pessoas que olharam de fora. Falavam ‘Gabriela, sai [do relacionamento] que esse cara um dia vai te matar’. Ele não é capaz de fazer isso, odeia agressão, não vai fazer nada comigo. Custou para mim acreditar que aquilo estava acontecendo e custa para mim imaginar as cenas das agressões”.

Continua após a publicidade

+ Assine a Vejinha a partir de R$ 6,90 mensais.

Nariz e mandíbula quebrados

Quando chegou ao pronto-socorro, Gabriela foi atendida com urgência. Lá, descobriu que sua mandíbula e o nariz estavam quebrados, com a lesão nasal precisando de cirurgia, além de cortes profundos. Ela precisou de 5 dias para recuperar o movimento do maxilar. 

Ao fazer a cotação com os médicos especialistas, a modelo afirma que o valor necessário para as despesas médicas é de 13 mil reais. Com R$ 3 mil guardados, uma vaquinha foi feita para arrecadar o resto necessário.

Rosto machucado de Gabriela
Quebrados: nariz irá precisar de cirurgia Reprodução/Veja SP

Em relação ao ressarcimento por parte do agressor, ela explica que não seria tão simples. “Meu advogado falou que se ele [Felipe Jesus] for arcar com qualquer parte dos danos morais, [o valor] viria só depois do processo e ainda corre o risco dele não pagar. Para cobrar danos morais do agressor, tenho que ter gastado esse dinheiro na minha cirurgia”. 

Insegurança

Gabriela Casellato entrou na Justiça contra Felipe Jesus e conseguiu uma medida protetiva. No entanto, ela não se sente segura e saiu de São Paulo. “Tenho medo de só ficar numa medida protetiva porque sei que as pessoas não respeitam um pedaço de papel”, afirma a modelo. 

De acordo com João Paulo Campos, advogado da vítima, o caso é de tentativa de homicídio. “Basta você analisar de forma superficial as fotos [de Gabriela após as agressões]. Aquilo não é alguém que quer se defender, aquilo é intenção de matar”.

Em entrevista ao G1, Felipe José confirmou as agressões e afirma terem sido motivadas por traição da ex-namorada. Junto ao seu advogado, disse estar “muito arrependido por ter pedido a cabeça”.

Ele conta que, no dia em questão, invadiu o apartamento da modelo com o intuito de verificar se ela havia voltado da balada. Então, quando chegou no quarto, o empresário teria encontrado Gabriela com outro homem. “Na hora em que ela fala para ele que não me conhece, eu acabei dando o primeiro soco nela. Aí, eu saio do quarto e vou para a sala de novo, que é onde eu estou arrumando minhas coisas (…). Quando eu volto, não estava acreditando ainda, e dei outro soco nela. Aí, o ventilador estava na frente da porta. Tirei da tomada e joguei em cima dela, xingando ela”, disse ao site.

+ Assine a Vejinha a partir de R$ 6,90 mensais.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade