Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Janssen diz que dose de reforço amplia para 94% proteção contra Covid-19

De acordo com fabricante, segunda dose pode aumentar os níveis de anticorpos em até 12 vezes

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 21 set 2021, 17h39 - Publicado em 21 set 2021, 17h38

A Janssen, braço farmacêutico da Johnson&Johnson, afirmou nesta terça-feira (21) que uma segunda dose de sua vacina contra a Covid-19, aplicada cerca de dois meses após a primeira, ampliou a eficácia para 94% nos Estados Unidos contra formas graves e moderadas da doença. No comparativo, a dose única do mesmo imunizante tem 70% de proteção contra a Covid.

“Nossa vacina de dose única gera fortes respostas imunológicas e memória imunológica de longa duração. Quando um reforço é aplicado, a proteção aumenta ainda mais”, disse Mathai Mammen, chefe global da marca, que pretende defender junto aos órgãos reguladores americanos a aplicação de uma dose de reforço.

A Janssen diz que, quando aplicado dois meses após a primeira dose, o reforço aumenta os níveis de anticorpos de quatro a seis vezes. Se o intervalo for de seis meses, os níveis de anticorpos podem aumentar até 12 vezes, de acordo com dados divulgados em agosto. O ensaio ainda será revisado por outros pesquisadores para publicação nos próximos meses.

A empresa já forneceu os dados para a FDA (agência americana) e pretende apresentá-los a outros órgãos reguladores, à Organização Mundial da Saúde (OMS) e grupos consultivos de vacinas em todo o mundo.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade