Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Hospitais fazem apelo às lideranças dos caminhoneiros

Associação Nacional dos Hospitais Privados (Anahp) emitiu nota solicitando liberação do embargo das cargas de insumos médicos

Por Adriana Farias Atualizado em 24 Maio 2018, 17h59 - Publicado em 24 Maio 2018, 17h54

A Associação Nacional dos Hospitais Privados (Anahp) emitiu uma nota na tarde desta quinta-feira (24) em tom de apelo às lideranças do movimento grevista dos caminhoneiros.

A entidade solicita que as cargas de gases medicinais, medicamentos e outros insumos essenciais aos hospitais sejam liberados do embargo estabelecido.

“Quem solicita são nossos hospitais associados e parceiros comerciais nestes segmentos, que começam a detectar uma queda substancial dos estoques e uma iminente falta de insumos nas instituições de saúde”, diz a associação, em nota.

“Reconhecemos o direito de greve garantido pela Constituição Federal, porém entendemos que o direito à saúde e à vida, assim como o dever das instituições hospitalares, clínicas e outros estabelecimentos de prestarem atendimento, deve prevalecer.”

A Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (FEHOESP) também acaba de encaminhar um e-mail aos presidentes da República, da Câmara e do Senado alertando para o iminente desabastecimento dos hospitais e serviços de saúde, caso persista a greve dos caminhoneiros.

Segundo Yussif Ali Mere Junior, presidente da entidade, os hospitais podem ficar sem o abastecimento de oxigênio, materiais, medicamentos e insumos em geral, como suprimentos para diálise. O recolhimento de lixo hospitalar também está comprometido.

“Trabalhamos com estoques reduzidos e necessitamos de abastecimentos regulares, como por exemplo, de 2 em 2 dias, 3 em 3 dias, no caso de reposição de oxigênio”, diz a federação, em nota.

Continua após a publicidade

Publicidade