Continua após publicidade

Banda Golpe de Estado grava CD em comemoração aos 30 anos

Com a participação de Catalau, banda toca neste sábado (9) em São Paulo

Por Sérgio Quintella Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 10 jun 2017, 11h27 - Publicado em 10 jun 2017, 11h27

A banda Golpe de Estado, referência do hard rock  paulistano, vai comemorar os trinta anos de carreira com a gravação de um CD ao vivo, neste sábado (9), a partir das 19h, no Clash Club, (9) na Zona Oeste.

O show, com ingressos a partir de 40 reais, vai contar com a participação do ex-vocalista André Catalau, que deixou a banda em 1997 devido ao seu vício em drogas, e do guitarrista Andreas Kisser, do Sepultura.

Após passar por dezenas de internações e sem consumir entorpecentes há dezessete anos, Catalau mora em Boiçucanga, no Litoral Norte, onde atua como pastor da igreja evangélica Bola de Neve.

Em outubro do ano passado, quando a banda se reuniu no mesmo local onde tocará neste sábado, o ex-vocalista do Golpe de Estado concedeu uma entrevista a VEJA SÃO PAULO, em que falou sobre a vida longe das drogas.

O ex-vocalista do Golpe de Estado, nos anos 90, no Programa Livre, do SBT, apresentado por Serginho Groisman (Reprodução/Veja SP)

– Como foi largar o vício?

Larguei a banda em 1997 porque eu estava atrapalhando todo mundo, estava pirando mesmo. Eu ficava bêbado, chapado, louco, faltava a shows, a entrevistas, entrava no palco sem saber as letras. Perdi outros dois irmãos por conta disso. Depois de ser internado várias vezes, conheci a clínica evangélica Novo Amanhecer, em Cotia. Era uma internação, mas com a uma parte espiritual mais acentuada. Agora já estou livre há dezessete anos.

– E como você virou pastor?

Foi um amigo que me apresentou a Bola de Neve em 2000. Ele me reconheceu andando pelas ruas do bairro de Perdizes e me convidou. Eu já não aguentava mais essa escravidão por causa das drogas e queria justificar minha existência na terra. Me mudei para São Sebastião e durante cinco anos fiquei dormindo num quartinho nos fundos da igreja. Virei pastor e ajudei a construir ao menos cinco igrejas em todo o Litoral Norte, Caraguatatuba, São Sebastião, Ubatuba e Ilhabela. Ajudo de jovens a adultos, com vários problemas, inclusive vício em drogas.

– Quais são as principais lições?

Sair do vício é um esforço, uma luta grande para caramba. Tive o prazer de participar de um centro de recuperação que foi casca grossa, onde só sobrevive os fortes. Foi uma “faculdade” muito boa, que me fez homem mesmo.

Continua após a publicidade

– E como fica o rock nessa história toda?

Eu acho que o rock acabou. O hard rock de raiz tem seus representantes das antigas, mas o que se vê hoje não dá para dizer que é rock, é pop. Mas há coisas mais novas e boas. Tenho ouvido muito rock cristão e new metal, como o P.O.D.

Gravação do CD ao vivo do Golpe de Estado
Quando: 10 de junho – sábado, às 19h
Onde: Clash Club – Rua Barra Funda, 969
Informações: https://www.clubedoingresso.com 

 

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.