Ele preside ONG referência no tratamento de paralisia cerebral

Desde 2010, Flavio Padovan comanda a equipe da Cruz Verde, que faz 1 800 atendimentos por mês

Em 1992, uma pane na Kombi da Associação Cruz Verde, que fica na Vila Clementino, atrapalhou o cotidiano da entidade, voltada para o atendimento gratuito de pessoas com paralisia cerebral. A voluntária Therezinha Padovan não teve dúvida: acionou o filho, Flavio Padovan, na época gerente de marketing da Volkswagen, para dar uma força.

Depois de alguns telefonemas, o executivo conseguiu que uma concessionária próxima desse um trato no veículo. A partir daí, ele se engajou na ação. “É impossível ficar indiferente aos pacientes e às histórias de abandono”, afirma o administrador, de 55 anos, 35 deles dedicados ao setor automobilístico.

Veja também

Atualmente, ele tem um negócio próprio na área de consultoria empresarial, mas já atuou como diretor comercial da Ford e como CEO da divisão da América Latina da Jaguar Land Rover. “Tendo boa vontade, tempo a gente arruma”, diz. Incentivou ainda a mulher, Maria Teresa, e os três filhos a se engajar na causa — sua mãe continua com a mão na massa.

Em 2010, Padovan assumiu a presidência da Cruz Verde, fundada há 58 anos. Hoje, comanda 300 empregados, de áreas como neurologia, enfermagem, fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia e odontologia. A turma dá assistência a 204 pacientes internos, entre 2 e 40 anos, na sede da Zona Sul. Eles foram abandonados pelas famílias e vivem ali pelo tempo que precisarem.

Além do auxílio a esse grupo, a equipe faz 1 800 atendimentos por mês. Cerca de cinquenta voluntários põem para andar as recreações e atividades artísticas que ajudam a melhorar a qualidade de vida dessas pessoas. A despesa mensal da ONG totaliza 1,1 milhão de reais. O Sistema Único de Saúde (SUS) cobre 60% dos custos. O restante vem de doações, eventos beneficentes e nota fiscal paulista.

Padovan criou, em 2015, a campanha Dezembro Verde, em prol de pessoas com paralisia cerebral. Com isso, espera contribuições a fim de ampliar o ambulatório e o hospital. “A busca por essa verba é um dos maiores desafios da minha carreira”, afirma.

Associação Cruz Verde. Rua Doutor Diogo de Faria, 695, Vila Clementino, ☎ 5579-7335.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s