Clique e assine com até 89% de desconto

Fascinator: nova moda na cabeça

Adereço ganhou visibilidade em abril no casamento do príncipe William com Kate Middleton ao ser usado pela prima do noivo

Por Mauricio Xavier [com reportagem de Daniel Salles, Isabella Villalba e Nathalia Zaccaro] Atualizado em 5 dez 2016, 17h58 - Publicado em 25 jun 2011, 00h50

Casquete, barrete e bibi já foram nomes de um tipo de chapéu muito usado nas décadas de 30 e 50 e que se popularizou com estrelas de Hollywood como Bette Davis e Greta Garbo: o fascinator.

O adereço voltou como tendência em Londres há alguns meses e ganhou visibilidade em abril no casamento do príncipe William com Kate Middleton ao ser usado pela prima do noivo, Beatrice.

No começo do ano, o acessório já havia aparecido na coleção do estilista André Lima nos desfiles de outono-inverno da São Paulo Fashion Week, mas foi em maio, no Grande Prêmio São Paulo de turfe, no Jockey Club, que a onda chegou às ruas da cidade.

O ateliê Sabrina e Isa, na Saúde, registrou grande aumento na procura: estão sendo alugados cerca de 100 por mês, a 150 reais cada um. “O fascinator pode ser usado em qualquer ocasião, mas a mulher deve saber que chamará atenção”, diz a apresentadora e colunista de moda do site de VEJA SÃO PAULO, Isabella Fiorentino.

Continua após a publicidade
Publicidade