Clique e assine por apenas 6,90/mês

Estrago da chuva: 49 enchentes, 11 desmoronamentos, 13 quedas de árvores

Os resultados da chuva em São Paulo mais visíveis foram nos dois sentidos da Marginal do Tietê

Por Estadão Conteúdo - Atualizado em 1 Dec 2018, 17h16 - Publicado em 1 Dec 2018, 16h49

Os resultados da chuva em São Paulo mais visíveis foram nos dois sentidos da Marginal do Tietê, que amanheceu com pontos de alagamento que bloquearam faixas. No sentido Rodovia Ayrton Senna, o congestionamento começava na Ponte dos Bandeirantes e ia até a altura da Ponte das Bandeiras, onde há um alagamento intransitável. Já no sentido da Rodovia Castello Branco, o bloqueio nas pistas locais e expressas próximo à Ponte Aricanduva gerou trânsito de 11 quilômetros.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), por volta das 8h20, informou que havia bloqueios na altura da Ponte Atílio Fontana, Ponte do Tatuapé, Ponte das Bandeiras, Ponte da Casa Verde, Ponte Presidente Dutra, Ponte Jornalista Walter Abrahão e próximo da saída para a Rodovia Castello Branco. O Corpo de Bombeiros informou que, das 00h00 às 07h00 horas foram registrados 13 chamados para quedas de árvores, 49 para enchentes e 13 para desabamentos e desmoronamentos.

Ainda pela manhã, a CET confirmou a liberação da via nos dois sentidos.

Após a chuva torrencial que provocou quedas de árvores e alagamentos em São Paulo e região metropolitana, a situação da capital paulista segue normalizada no início da tarde deste sábado, 1º. Mas novas tempestades estão previstas para o fim do dia.

Continua após a publicidade

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), novas áreas de instabilidade poderão causar fortes pancadas de chuva no fim da tarde e início da noite.

Região Metropolitana

A situação em Franco da Rocha segue em vias de normalização, informa a Prefeitura. Durante a noite, o município registrou 110 mililitros em seis horas – o suficiente para alagar a região central da cidade. 

No início da tarde, cerca de 10 caminhões pipas e mais de 100 agentes municipais trabalhavam para desobstruir e limpar as principais vias da cidade. A Defesa Civil Municipal atua no monitoramento das áreas de risco e recomenda às famílias a deixarem suas residências ao sinal de movimentação estranha. A Represa Paiva Castro opera normalmente com 55% da capacidade e não apresenta risco iminente. 

Continua após a publicidade

Segundo a Prefeitura, os trabalhos estão previstos para serem concluídos por volta das 17h. Ninguém se feriu durante os alagamentos.

Em Caieiras, o Corpo de Bombeiros registrou chamada de quatro pessoas presas em uma enchente na cidade. O grupo foi resgatado e não há informações de feridos.

Publicidade