Clique e assine com até 89% de desconto

Consórcio rebate declarações de Márcio França sobre nova Ceagesp

Governador barrou propostas de mudança alegando que estado não poderia bancar obras viárias

Por Sérgio Quintella 27 jul 2018, 15h25

Um dos consórcios de empresas que enviaram propostas sobre a nova localização da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), atualmente situado na Vila Leopoldina, na Zona Oeste, rebateu as declarações do governador do estado, Márcio França, sobre os recursos que serão usados na futura sede.

Segundo França, como os possíveis locais estão próximos de rodovias, a exemplo de Rodoanel, Anhanguera e Castello Branco, e nenhum dos projetos foi claro ao explicar se o dinheiro para as obras de acesso seria oriundo do estado ou das próprias empresas, todos os quatro documentos foram rejeitados e devolvidos. “São boas ideias, mas tem um detalhe: nenhum deles está pronto e todos dependem de acessos que o governo do estado precisaria fazer”, afirmou o governador na semana passada.

No entanto,  Antônio Augusto Conte, sócio-fundador da Ideal Partners, cujo projeto prevê a construção de um entreposto em Santana de Parnaíba, afirma que o investimento de 2,2 bilhões de reais prevê todas as obras necessárias para acesso ao local. “Faremos um viaduto que vai consumir 10% do total previsto para o investimento, que será todo privado”, afirma. “Serão duas entradas, uma pelo Rodoanel, para caminhões, e outra próximo ao Tamboré, para veículos de passeio. Haverá 25 restaurantes, floresta, hortas hidropônica”, prevê.

O terreno, segundo Conte, possui 4 milhões de metros quadrados e a área construída do entreposto terá 1 milhão de metros quadrados (30% a mais que a atual).

Além da Ideal Partner, outras três companhias participaram do processo, que ainda não chegou à fase da licitação – os projetos são propostas preliminares, cujos estudos embasarão o certame, ainda sem data para ocorrer.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade