Continua após publicidade

Barata viva é encontrada em panela de preparo de merenda

A operação vistoria as condições dos alimentos em 266 escolas públicas no estado de São Paulo

Por Rafaela Bonilla
Atualizado em 14 fev 2020, 15h52 - Publicado em 31 out 2019, 12h30

A partir desta quinta-feira (31), trezentos agentes do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE- SP) participam de uma fiscalização surpresa de merendas escolares em 266 escolas públicas, englobando mais de 200 municípios do estado. A operação, que teve início às 7h30 da manhã, já encontrou infrações como freezer descongelado, produtos vencidos e barata viva em panela.

De acordo com o TCE, o objetivo é vistoriar as condições da merenda, a qualidade dos alimentos e armazenamentos e inspecionar a regularidade no abastecimento nas unidades escolares.

Na Escola Municipal Professor Agnello Leandro Pereira, na cidade Pedro de Toledo, foi encontrada uma barata viva no local onde guardavam as panelas.

Em resposta, a prefeitura municipal, responsável pela escola, enviou um comprovante que mostra a data de validade da última dedetização realizada na escola: dia 17 de fevereiro de 2020. “Acreditamos que seja um fato isolado e não corriqueiro a aparição do inseto no local”, disse em nota.

Já na Escola Municipal Professor Florestan Fernandes, em Cosmópolis, a geladeira que mantinha as carnes para o preparo das merendas estava descongelada, em 19°C.

A prefeitura de Cosmópolis informou que o equipamento será substituído imediatamente por uma geladeira comercial. Além desta, mais nove geladeiras foram adquiridas para utilizar em escolas na cidade.

Continua após a publicidade

Na Escola Municipal Prof. Cleonice Aparecida Thiele, em Mogi Guaçu, a porta do freezer estava quebrada e carnes estavam descongeladas. Além disso, no refrigerador, foram encontradas peças de máquinas junto aos alimentos. A prefeitura municipal de Mogi Guaçu disse em nota que “buscará a solução para os apontamentos realizados pelo TCE.”

Em maio deste ano, os agentes do TCE fizeram uma fiscalização parecida pelas escolas do Estado. Na ocasião, em 10% dos locais visitados foram encontrados alimentos vencidos, 82% não tinham alvará da Vigilância Sanitária e 28% das escolas não estavam estocando seus alimentos adequadamente.

No final do dia, o Tribunal de Contas prevê divulgar um relatório comparativo entre a operação de hoje e a de maio.

*Este texto foi alterado.

(Divulgação/ TCE/Veja SP)

+ OUÇA O PODCAST #SPsonha: Como melhorar a vida nas favelas

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.