Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

“Ela não cozinha aqui comigo”, diz chef do Bahamas, sobre Aritana

Participante do reality show culinário <em>MasterChef</em> fez inimigos durante o programa exibido na noite de terça (9)

Por Tatiana Izquierdo Atualizado em 1 jun 2017, 16h48 - Publicado em 10 jun 2015, 21h07

Ela tem pulso firme, é mandona e quer vencer o reality show Masterchef, exibido pela Band. Filha do empresário Oscar Maroni, dono da boate Bahamas, Aritana Maroni fez inimigos no programa exibido na noite de terça (9) ao se imunizar depois que o time que comandava perdeu a prova em grupo.

“Perdemos porque o arroz estava queimado”, respondeu, quando questionada sobre a derrota. Ao saber que poderia escolher entre salvar duas pessoas do time ou a si própria, não pensou duas vezes: “Desculpa, gente. Amo todos vocês, mas é um jogo e eu não vou arriscar perder a minha chance”, disparou.

+ MasterChef: cadetes, chocolate e bate-boca

oscar-maroni

oscar-maroni

Continua após a publicidade

+ Oscar Maroni interrompeu “ménage” para ver a filha no “MasterChef”

Atualmente, Aritana ocupa o cargo de gerente de compras na empresa do pai. “Eu organizo tudo no Bahamas, até a parte administrativa”, diz.

Apesar de lidar diretamente com os produtos consumidos na casa, Aritana não assume as panelas por lá. Quem está no comando da cozinha há dois anos é o chef Edilson Bandeira. “Ela não cozinha comigo, mas me ajuda na hora de criar cardápios, escolher as combinações e harmonizações”.

Cerca de 200 pratos são servidos aos clientes do empreendimento adulto. O cardápio, caro, oferece água de coco por 23 reais, refrigerante por 15 reais, doses de uísque a partir de 45 reais e uma extensa carta de vinhos e charutos, com preços a partir de 45 reais.

O prato mais vendido é o carré de cordeiro ao molho de alecrim e risoto de funghi porcini, por 65 reais. Curiosamente, foi esse menu que Aritana preparou em seu teste no programa, e que lhe rendeu a sonhada vaga. 

aritana_masterchef3
aritana_masterchef3

Também conhecido pelas polêmicas, o pai defendeu a decisão da filha. “Ela me consulta muito e eu disse que agiu certo. Fiquei orgulhoso, é um jogo e ela tem que se defender. Quem dali não iria pensar em si próprio?”, diz Maroni, revelando que Aritana se interessou por culinária ainda criança, cozinhando com a avó e a mãe. “Somos de família italiana, afinal”, completa.

Continua após a publicidade

Publicidade