Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Sobe para 41 número de mortes em acidente entre ônibus e caminhão

Batida aconteceu na Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, entre Taguaí e Taquarituba, por volta das 7h

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 25 nov 2020, 17h43 - Publicado em 25 nov 2020, 10h23

A batida entre um ônibus e um caminhão provocou a morte de 41 pessoas na Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, entre Taguaí e Taquarituba, no interior de São Paulo, na manhã desta quarta-feira (25).

Segundo as informações do tenente Alexandre Guedes, porta-voz da Polícia Militar, o acidente aconteceu no km 172 em Taguaí. Os bombeiros disseram que os passageiros do ônibus são funcionários de uma empresa têxtil.

A colisão aconteceu em uma curva da rodovia. Ainda não se sabe o que causou o acidente, mas a polícia suspeita de que uma ultrapassagem tenha provocado a tragédia. A equipe de resgate recebeu uma lista que aponta que 52 pessoas estariam no ônibus, além do motorista.

Os feridos foram levados para hospitais de Taguaí, Taquarituba, Fartura, Itaí e Avaré, de acordo com funcionários da Santa Casa de Misericórdia de Taquarituba. A Prefeitura de Taguaí decretou luto oficial por três dias na cidade.

Empresa clandestina

De acordo com a Agência de Transporte do Estado de São Paulo, a Artesp, a empresa Star Viagem e Turismo, envolvida no acidente de ônibus com mais de 40 mortos em Taguaí, não tinha autorização para operar.

À Polícia, o motorista do veículo afirmou que um outro ônibus que estava em sua frente freou bruscamente e, assim, precisou desviar, entrando na pista do sentido contrário. Segundo ele, o freio falhou. Devido à manobra, ele bateu no caminhão. A Polícia investiga o caso.

Continua após a publicidade
Publicidade