Clique e assine com até 89% de desconto
Vida Boa Por Bárbara Öberg A repórter Bárbara Öberg fala sobre bem estar, exercícios, saúde e novidades para melhorar a rotina.

Três pais contam como se envolvem na criação dos filhos

Dividir as responsabilidades é essencial

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 5 fev 2020, 13h55 - Publicado em 27 jul 2018, 06h00

Cada vez mais, pais se envolvem na criação dos filhos e dividem as tarefas domésticas com as mães. Parte deles, inclusive, passa mais tempo com as crianças do que elas. Confira três homens que assumiram o desafio e dão conta de quase tudo sozinhos.

João Matta, 52. Pai de Isabela, 5, e João Francisco, 3, o professor assume quase todas as tarefas em casa, da “batalha” do almoço à ida à escola. Quando a mãe chega do trabalho, entre 20 e 21 horas, os pequenos já tomaram banho, jantaram e, algumas vezes, estão dormindo. “Mesmo dando muito trabalho, vê-los crescer é a melhor coisa da vida”, comemora.

Mauro Angelo Castellã, 41. Os horários flexíveis do personal trainer permitem que o dia a dia do Rafael, 11, fique por conta do pai. A rotina inclui supervisão da lição de casa e treino de futebol — Rafinha quer ser jogador profissional. “Dar toda atenção e cuidar para que ele tenha uma alimentação saudável faz com que o nosso laço se fortaleça sempre”, afirma.

O personal trainer Mauro Castellã e Rafael, de 11 anos, que quer ser jogador de futebol profissional Arquivo pessoal/Veja SP

Ricardo Guimarães, 30. O desenvolvedor de tecnologias cuida de Gael, 2, em guarda compartilhada com a mãe. A cada dois dias, quando os dois ficam juntos, a diversão é prioridade. “Tocamos tambor e piano e brincamos no quintal de casa ou na rua. Não vejo outro caminho que não fazer isso com ele. Não dá para terceirizar esse processo da criação,” explica.

Ricardo Guimarães e o filho, Gael, de 2 anos Arquivo pessoal/Veja SP

 

Continua após a publicidade
Publicidade