Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Tudo Sobre Cinema

Oscar recebe número recorde para o prêmio de melhor filme estrangeiro

A Academy of Motion Picture Arts & Sciences recebeu um número recorde de produções para uma das cinco vagas ao Oscar de melhor filme estrangeiro. Em 2013, 76 países inscreveram seus longas-metragens. Neste ano, foram 83. Pela primeira vez, quatro países entraram na briga: Kosovo, Malta, Mauritânia e Panamá. Quer ter informações diárias sobre cinema? […]

Por Miguel Barbieri Jr. Atualizado em 26 fev 2017, 20h37 - Publicado em 18 out 2014, 00h02

A Academy of Motion Picture Arts & Sciences recebeu um número recorde de produções para uma das cinco vagas ao Oscar de melhor filme estrangeiro. Em 2013, 76 países inscreveram seus longas-metragens. Neste ano, foram 83. Pela primeira vez, quatro países entraram na briga: Kosovo, Malta, Mauritânia e Panamá.

Quer ter informações diárias sobre cinema? Venha conhecer e curtir minha página no Facebook.

Os indicados serão anunciados dia 15 de janeiro. Mas, uma semana antes, a Academia já passa a faca e divulga nove pré-finalistas – e quatro deles caem fora. A cerimônia da 87ª edição do Oscar ocorre em 22 de fevereiro. Veja abaixo a lista dos filmes pré-indicados, entre eles o brasileiro Hoje Eu Quero Voltar Sozinho.

+Catorze filmes pré-indicados ao Oscar vão ser exibidos na Mostra Internacional

Neil Patrick Harris será o apresentador do Oscar 2015

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho é o representante brasileiro no Oscar

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho é o representante brasileiro no Oscar

Continua após a publicidade

Afeganistão: A Few Cubic Meters of Love,de Jamshid Mahmoudi
África do Sul: Elelwani, de Ntshavheni Wa Luruli
Alemanha: Duas Irmãs, uma Paixão, de Dominik Graf
Argentina: Relatos Selvagens, de Damián Szifrón
Austrália: Charlie’s Country, de Rolf de Heer
Áustria: O Vale Sombrio, de Andreas Prochaska
Azerbaijão: Nabat, de Elchin Musaoglu
Bangladesh: Glow of the Firefly, de Khalid Mahmood Mithu
Bálgica: Dois Dias, Uma Noite, de Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Bolívia: Olvidados, de Carlos Bolado
Bósnia e Herzegovina: With Mom, de Faruk Lončarevič
Brasil: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, de Daniel Ribeiro
Bulgária: Bulgarian Rhapsody, de Ivan Nitchev
Canadá, Mommy, de Xavier Dolan
Chile: To Kill a Man, de Alejandro Fernández Almendras
China: The Nightingale, de Philippe Muyl
Colombia: Mateo, de María Gamboa
Coreia do Sul: Haemoo, de Shim Sung-bo
Costa Rica: Red Princesses, de Laura Astorga Carrera
Croácia: Cowboys, de Tomislav Mršić
Cuba: Conducta, de Ernesto Daranas Serrano
Dinamarca: Tristeza e Alegria, de Nils Malmros
Eslováquia: A Step into the Dark, de Miloslav Luther
Eslovênia: Seduce Me, de Marko Šantić
Equador: Silence in Dreamland, de Tito Molina
Egito: Factory Girl, de Mohamed Khan
Espanha: Viver É Fácil de Olhos Fechados, de David Trueba
Estônia: Tangerines, de Zaza Urushadze
Etiópia: Difret, de Zeresenay Berhane Mehari
Filipinas: Norte, the End of History, de Lav Diaz
Finlândia: Noite Decisiva, de Pirjo Honkasalo
França: Saint Laurent, de Bertrand Bonello

Saint-Laurent: biografia do costureiro foi indicado pela França

Saint-Laurent: biografia do costureiro foi indicado pela França

Georgia: A Ilha dos Milharais, de George Ovashvili
Grécia: Little England, de Pantelis Voulgaris
Holanda: Accused, de Paula van der Oest
Hong Kong: The Golden Era, de Ann Hui
Hungria: White God, de Kornél Mundruczó
Islândia: Life in a Fishbowl, de Baldvin Zophoníasson
Índia, de Liar’s Dice, de Geetu Mohandas
Indonésia: Soekarno, de Hanung Bramantyo
Irã: Today, de Reza Mirkarimi
Iraque: Mardan, de Batin Ghobadi
Irlanda: The Gift, de Tom Collins
Israel: Gett, the Trial of Viviane Amsalem, de Ronit Elkabetz e Shlomi Elkabetz
Itália: O Capital Humano, de Paolo Virzì
Japão: The Light Shines Only There, de Mipo O
Kosovo: Three Windows and a Hanging, de Isa Qosja
Letônia: Rocks in My Pockets, de Signe Baumane
Líbano: Ghadi, de Amin Dora
Lituânia: The Gambler, de Ignas Jonynas
Luxemburgo: Never Die Young, de Pol Cruchten
Macedônia, To the Hilt, de Stole Popov
Malta, Simshar, de Rebecca Cremona
Mauritânia: Timbuktu, de Abderrahmane Sissako
México: Cantinflas, de Sebastián del Amo
Moldávia: The Unsaved, de Igor Cobileanski
Montenegro: The Kids from the Marx and Engels Street, de Nikola Vukčević
Marrocos: The Red Moon, de Hassan Benjelloun
Nepal: de Jhola, de Yadav Kumar Bhattarai
Nova Zelândia: The Dead Lands, de Toa Fraser
Noruega: 1001 Grams, de Bent Hamer
Paquistão: Filha, de Afia Nathaniel
Palestina: Eyes of a Thief, de Najwa Najjar
Panamá: Invasion, de Abner Benaim
Peru: The Gospel of the Flesh, de Eduardo Mendoza
Quirguistão: Kurmanjan Datka Queen of the Mountains, de Sadyk Sher-Niyaz
Polônia, Ida, de Paweł Pawlikowski
Portugal: What Now? Remind Me, de Joaquim Pinto
Reino Unido: Little Happiness, de Nihat Seven
República Checa: Fair Play, de Andrea Sedláčková
República Dominicana: Cristo Rey, de Leticia Tonos
Romênia: The Japanese Dog, de Tudor Cristian Jurgiu
Rússia: Leviatã, de Andrey Zvyagintsev
Sérvia: See You in Montevideo, de Dragan Bjelogrlić
Singapura, Sayang Disayang, de Sanif Olek
Suécia: Força Maior, de Ruben Östlund
Suíça: O Círculo, de Stefan Haupt
Taiwan, Ice Poison, de Midi Z
Tailândia, The Teacher’s Diary, de Nithiwat Tharathorn
Turquia: Winter Sleep, de Nuri Bilge Ceylan
Ucrânia: The Guide, de Oles Sanin
Uruguai: Mr. Kaplan, de Álvaro Brechner
Venezuela: The Liberator, de Alberto Arvelo

Winter Sleep: filme turco ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes

Winter Sleep: filme turco ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes

Continua após a publicidade
Publicidade