Clique e assine por apenas 6,90/mês
Terraço Paulistano Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade. Por Humberto Abdo.

Um salão causou bafafá entre dois cabeleireiros e um empresário

O imóvel, hoje nas mãos de Ricardo Rodrigues, foi motivo de atrito entre Eron Araújo e Paulo Koloszuk, seu ex-sócio

Por Ana Carolina Soares - Atualizado em 27 set 2019, 10h35 - Publicado em 27 set 2019, 06h00

Um bafafá envolvendo dois cabeleireiros de celebridades e um empresário do ramo virou assunto nos salões mais caros da cidade. No último dia 11, o hairstylist Ricardo Rodrigues, 37, pediu demissão da rede W, de Wanderley Nunes. Ele afirma que o empresário Paulo Koloszuk, da rede Creative Salon, lhe ofereceu seu ponto nos Jardins — ele topou e, em 7 de outubro, vai inaugurar no local o RiRo. O mesmo ponto estava na mira de Eron Araújo, 48, outro astro das tesouras, que tentou comprá-lo no ano passado. Eron e Koloszuk foram sócios ali durante três anos, e terminaram a parceria em uma briga.

Comenta-se que o empresário só aceitava vender o local ao “inimigo” Eron por 3 milhões de reais, mas acabou fazendo negócio com Ricardo por 15% desse valor. “Koloszuk é um vampiro”, dispara Eron, que hoje toca sozinho outro espaço nos Jardins. Ricardo, que caiu de paraquedas na briga, diz que não sabia do embate e que está focado em formar sua nova equipe. “Busco profissionais. Menos no W, claro”, conta. Koloszuk não quis se pronunciar.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 02 de outubro de 2019, edição nº 2654.

Publicidade