Clique e assine por apenas 6,90/mês
Terraço Paulistano Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade. Por Humberto Abdo.

Publicitários fazem sucesso com podcast sobre cultura e militância LGBT+

"Nosso objetivo é continuar recebendo recados como ‘consegui sair do armário por causa de vocês’”, diz um dos integrantes do POC de Cultura

Por Humberto Abdo - Atualizado em 14 ago 2020, 19h00 - Publicado em 14 ago 2020, 06h00

Quatro publicitários comandam o POC de Cultura, podcast semanal dedicado ao universo LGBT+. “Incluindo assuntos que nem todo mundo abraça”, destaca Filipe Bortolotto, um dos integrantes. Entre conversas e entrevistas com convidados, o grupo já discutiu temas como indígenas LGBTs, machismo e visibilidade trans e tem entre 45 000 e 60 000 ouvintes por mês. Assuntos pesados tratados de forma leve definem parte do conteúdo, segundo eles, que começaram o projeto sentados em roda, no chão do quarto, com um microfone improvisado dentro de uma caneca. Após noventa episódios — e melhorias nos equipamentos —, o quarteto conquistou ouvintes de várias regiões do país. “Já encontrei um seguidor do interior do Pará e ele tremia, dizendo como gostava do programa”, admira-se Hilário Júnior, membro do podcast. Também notaram maior audiência do público feminino. “Criticar o comportamento heteronormativo é meu esporte favorito”, brinca Caco Baptista. “E esse lado problematizador nos ajuda a ter um público que não é necessariamente gay.” Em setembro, eles planejam uma nova série em áudio sobre a história do movimento LGBT no Brasil — “orgulho tupiniquim, não pride” — e negociam a presença de Xuxa Meneghel para um dos próximos episódios. “Existem podcasts LGBTs que falam de diva pop o tempo todo”, critica José Melo. “Nunca seremos os mais ouvidos do Brasil, mas nosso objetivo é continuar recebendo recados como ‘consegui sair do armário por causa de vocês’.”

View this post on Instagram

mexeu com você, mexeu com o poc! ✨🌈 Nesse episódio a gente tá debatendo família, nesse clima bem Casos de família mesmo pra falar sobre ter ou não empatia com familiares que fazem o mínimo, ou até menos que isso! Vem dar o play e falar mal de parente com a gente ✨

A post shared by POC de Cultura (@pocdecultura) on

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 19 de agosto de 2020, edição nº 2700.

Continua após a publicidade
Publicidade