Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Humberto Abdo (Maria Carolina Matheus da Silva) Terraço Paulistano Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade. Por Humberto Abdo.

Edson e Hudson: “Cada um bebia 1 litro de uísque por dia”

VEJA SÃO PAULO — Por que decidiram voltar? Hudson — Procurei o Edson por causa do meu pai, que estava doente e havia  ficado muito triste com a separação. VEJA SÃO PAULO — O que fez com que vocês brigassem? Edson — Demos ouvidos a amigos falsos, que jogavam um contra o outro.  Mas foi […]

Por Ricky Hiraoka Atualizado em 27 fev 2017, 12h58 - Publicado em 7 out 2011, 13h44

Edson e Hudson: de volta, após dois anos rompidos

VEJA SÃO PAULO — Por que decidiram voltar?
Hudson — Procurei o Edson por causa do meu pai, que estava doente e havia  ficado muito triste com a separação.

VEJA SÃO PAULO — O que fez com que vocês brigassem?
Edson — Demos ouvidos a amigos falsos, que jogavam um contra o outro.  Mas foi porque estávamos doentes.

VEJA SÃO PAULO — Doentes?
Hudson — Cada um bebia 1 litro de uísque por dia. Ficar muito tempo na estrada cansa, estressa, e começamos a descontar na pingaiada.
Edson — O álcool nos fez competir um com o outro. Eu observava os erros dele para criticar, e vice-versa. Aí brigávamos muito.

VEJA SÃO PAULO — É verdade que vocês tiveram depressão?
Edson — Sim. Tomei antidepressivo entre 2007 e 2010, mas hoje não estou nem  bebendo álcool nem tomando remédio.  Foi minha maior vitória ter parado.
Hudson — Fiquei com a síndrome do pânico após um pouso de emergência,  quando estava num avião, em 2009. Mas me curei sozinho. Depois da nossa separação, passei uns três meses sem sair do quarto. Comecei a me obrigar a cortar grama, nadar, tomar sol, e fui melhorando. Remédio me deixa pior, não gosto.  Bebo cervejinha e uisquezinho de leve.

VEJA SÃO PAULO — Na época da separação, falaram que um dos motivos era seu envolvimento  com drogas, Hudson…
Hudson — Nunca usei.

VEJA SÃO PAULO — Como está a relação de vocês?
Edson — Hoje, respeito muito o Hudson como profissional. Além do amor de irmão, que nunca acabou.  Hudson — A última coisa que quero  na vida é magoar o Edson. Ele me fez falta demais.

Continua após a publicidade

Publicidade