Clique e assine por apenas 5,90/mês
São Paulo nas Alturas Por Raul Juste Lores Redator-chefe de Veja São Paulo, é autor do livro "São Paulo nas Alturas", sobre a Pauliceia dos anos 50. Ex-correspondente em Pequim, Nova York, Washington e Buenos Aires, escreve sobre urbanismo e arquitetura

Mulheres que conquistaram justo espaço na arquitetura da cidade

Maria Bardelli, co-autora do antigo hotel Hilton e do Le Village, na Augusta, está entre elas

Por Raul Juste Lores - Atualizado em 8 mar 2018, 19h59 - Publicado em 8 mar 2018, 19h56

A arquitetura ainda é, mesmo em 2018, um clube do Bolinha. Por muito tempo, Zaha Hadid, no exterior, e Lina Bo Bardi por aqui, eram raras na classe. Nos últimos anos, Bete França, Lua Nitsche, Carol Bueno, Patricia Anastassiadis, Fernanda Barbara, Cris Muniz, Marina Acayaba, Marta Moreira e tantas outras conquistaram justo espaço no clube.

Reprodução/Veja SP

Além de Lina, que fez Masp, Sesc Pompeia, Casa de Vidro e Teatro Oficina, temos a paisagista Rosa Kliass, que fez dos jardins do Vale do Anhangabaú ao Parque da Juventude, no antigo Carandiru; e uma das favoritas do blog, Maria Bardelli, co-autora do antigo hotel Hilton (foto acima), das galerias do Rock e do Reggae, da Nova Barão e da Le Village na Augusta (terceira foto do post). Certamente, ela viveu em tempos que era ainda mais difícil ser mulher entre as pranchetas paulistanas.

Reprodução/Veja SP

E para você, que arquiteta merece mais reconhecimento?

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter e seguir minhas postagens no Instagram.

Continua após a publicidade
Publicidade