Clique e assine por apenas 5,90/mês
São Paulo nas Alturas Por Raul Juste Lores Redator-chefe de Veja São Paulo, é autor do livro "São Paulo nas Alturas", sobre a Pauliceia dos anos 50. Ex-correspondente em Pequim, Nova York, Washington e Buenos Aires, escreve sobre urbanismo e arquitetura

O primeiro prédio de luxo do polonês Alfredo Duntuch fica em Higienópolis

O anúncio da construção prometia “apogeu residencial para a elite paulistana”

Por Raul Juste Lores - Atualizado em 5 fev 2020, 13h58 - Publicado em 6 jul 2018, 06h00

No fim da Avenida Higienópolis, o imigrante judeu Alfredo Duntuch projetou seu primeiro prédio de luxo, em 1952. Ele havia chegado ao Brasil em 1941, um ano e meio depois de ter fugido do nazismo, que invadira sua Cracóvia natal. Fez longas viagens de navio, da Índia à África, até aportar no Recife. O arquiteto trabalhou inicialmente no escritório Severo-Villares, para em seguida abrir a construtora Luz-Ar. Com ela, ergueu vilas de casinhas em Perdizes e Higienópolis.

Edificio Muniz de Souza
Construção tem unidades com mais de 600 metros quadrados Raul Justes Lores/Veja SP

Construiu dezenas de residenciais, e sua filha, Olga Krell, seria pioneira da decoração no país. Este Edifício Muniz de Souza, de unidades com mais de 600 metros quadrados, foi incorporado por cinco amigos (Cassio Muniz, que dava nome ao prédio, vendia de presentes a pianos). O anúncio prometia “apogeu residencial para a elite paulistana”. Já o jardim original foi substituído por vagas para carros.

O Edifício Muniz de Souza: projeto do imigrante judeu Alfredo Duntuch Raul Justes Lores/Veja SP
Publicidade