Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Professora adota aluno que a fez pensar em desistir de dar aula

A jovem também adotou o irmão mais novo do menino de 14 anos: "Ele só perguntou se ele poderia morar comigo. Eu disse que eu estava sentindo o mesmo"

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 8 fev 2018, 19h27 - Publicado em 8 fev 2018, 17h20

Em 2013, Chelsea Haley, hoje com 26 anos de idade, começou a trabalhar para a Teach For America, uma ONG que ajuda a “fortalecer o movimento por igualdade e excelência educacional” em colégios que têm pouca verba. A professora foi encaminhada para dar aula para crianças da 1ª à 8ª série em Baton Rouge, Louisiana. Foi enquanto trabalhava na instituição que ela conheceu Jerome Robinson — seu aluno menos aplicado.

O comportamento dele era tão ruim que cheguei a pensar ‘eu não consigo mais fazer isso, eu não posso ser uma professora’“, revelou Chelsea a CNN. Fora da sala de aula, Jerome e seu irmão mais novo, Jace, passavam a maioria das noites na casa dos avós. A família vivia uma situação crítica de pobreza e enfrentava ainda mais complicações após a morte de dois integrantes do clã. O menino, na época com 12 anos, também tinha problemas no colégio: professores não conseguiam controlar seu comportamento explosivo.

Após muitas tentativas, os outros docentes da instituição de ensino revelaram a Chelsea que ela era a única que poderia ajudar Jerome. A professora ajudou a discipliná-lo enquanto o encorajava a se esforçar no colégio. “Eu recebi muitos e-mails agradecidos e muitos professores vinham pessoalmente até a minha casa“, contou a jovem sobre a gratidão dos outros profissionais.

  • Chelsea, no entanto, ficaria apenas 2 anos no colégio em Louisiana. Ao fim deste período, ela e Jerome tinham formado um “laço improvável”. O diretor da escola sugeriu que a jovem professora ficasse por perto pelo menino. A mulher também sonhou que adotava o menino, o que fechou o acordo: para ela, Deus dizia que ela estava destinada a ser a mãe dele. No dia seguinte, em outubro de 2015, a criança interrompeu uma prova para fazer uma pergunta a professora: “Ele só perguntou se ele poderia morar comigo. Eu disse que eu estava sentindo a mesma coisa“, contou a mulher, na época com 24 anos.

    Continua após a publicidade

    No dia seguinte, Chelsea se encontrou com Jerome, o irmão mais novo do aluno e a mãe das criança. A professora, que queria se mudar para a Georgia para explorar ainda mais sua carreira como docente, disse que a mãe dos meninos respondeu apenas: “Você pode ir… mas eu quero que você leve Jerome e Jace com você“. Em dezembro de 2015, a professora se tornou a guardiã dos alunos, ganhando guarda total e adotando as duas crianças. Hoje, a família mora na cidade de Marietta. “Eu não trocaria nossa família por nada nesse mundo“.

    E o comportamento de Jerome? “Ele costumava repetir em todas as matérias e não se importava com nada… Agora, ele é um aluno de honra e um dos primeiros da sala de aula“, comemora Chelsea. O adolescente não foi suspenso desde então. No sábado, a mãe compartilhou em seu Facebook o boletim do filho, mostrando suas notas: “Eu acho que ele fala sério quando diz que quer uma bolsa para a faculdade“, disse, orgulhosa. Confira: 

    Jerome não é o único que ganha destaque na família: Chelsea também se orgulha do caçula, Jace: “Jace acabou de entrar no meu quarto, subir na minha cama, beijar a minha testa e dizer: ‘mamãe, você é minha garota favorita’. Que conquistador ele será“. 

    Dê sua opinião: E você, o que achou da história inspiradora de Chelsea e Jerome? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

    Continua após a publicidade
    Publicidade