Mãe revela como mensagem “irritante” para marido salvou a vida de bebê

"O motivo porque a minha família está sentada no sofá com um par de muletas e não no hospital é por causa da minha voz de mãe irritante e superprotetora"

Rebecca Tafaro Boyer foi muito questionada por familiares após o nascimento do filho, William. Pessoas próximas à mulher acreditam que ela é “muito irritante e superprotetora” como mãe. No dia 14 de julho, ela revelou por que se preocupa tanto com a criança — e como essa constante atenção pode ter salvo a vida do bebê de poucos meses de idade.

Hoje, o meu primeiro dia de volta ao trabalho após a licença maternidade, eu pedi para que o meu marido me mandasse atualizações de hora em hora sobre como o pequeno William estava lidando com o primeiro dia longe da mamãe. Hoje à tarde, por volta das 14h15, eu recebi uma mensagem do meu marido durante uma ida ao supermercado. A minha mensagem de esposa irritante foi pedir para que o David corrigisse a posição do William na cadeirinha do carro — as alças estavam muito frouxas e o clipe do peito estava muito baixa. E, como eu conheço o meu marido, sei que ele riu e rolou os olhos antes de ajustar as alças e arrumar o clipe do peito!, contou a mamãe na publicação com mais de 32 000 compartilhamentos.

Apenas 15 depois após a troca de mensagens, o marido de Rebecca ligou para a mulher e informou que eles se envolveram num acidente. “Nós estamos bem, mas o carro precisará ser guinchado“, revelou o homem, em pânico. “Os meninos estavam a poucos quilômetros de casa quando uma mulher tentou fazer uma rápida conversão à esquerda. O David não teve tempo de parar — poderia ter acontecido com qualquer um“, explicou Rebecca. “O meu bebê estava tão seguro na cadeirinha que ele nem acordou da soneca. Mesmo com o impacto entre dois carros, William sofreu apenas um pequeno solavanco, tão insignificante que ele continuou a tirar sua soneca e passou as próximas duas horas flertando com as enfermeiras do hospital“, contou a mulher.

David, no entanto, não teve tanta sorte: o pé do homem ficou quebrado em três lugares diferente, eles deslocou três dedos e precisou retornar aos médicos para garantir que não precisaria de uma cirurgia após o acidente. “O carro está perdido, mas carros podem ser substituídos — os meus meninos, não“, filosofou Rebeca após o susto.

Eu estou tão grata que o meu marido gastou um minuto a mais para colocar o William na cadeirinha da maneira correta. Não consigo nem imaginar o que poderia ter acontecido se ele não tivesse feito isso. Acredito que o motivo porque a minha família está sentada no sofá com um par de muletas e não no hospital é por causa da minha voz de mãe irritante e superprotetora“, finalizou a mulher — antes de revelar que a cadeirinha usada por três meses pelo bebê será jogada no lixo após o acidente. Confira: 

Dê sua opinião: E você, o que achou da história de Rebecca? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s