Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Homem fica com aparência de “zumbi” após reação a antibióticos

Após usar o medicamento por duas semanas, o pai de família de 38 anos sofreu queimaduras em 90% do corpo, ficou temporariamente cego e quase morreu

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 2 mar 2018, 19h05 - Publicado em 2 mar 2018, 18h04

Josh Dennis, de 38 anos, mora com a mulher e os dois filhos em Holly, Colorado, nos Estados Unidos. Após usar antibióticos por duas semanas, o homem sofreu queimaduras em 90% do corpo, ficou temporariamente cego e quase morreu, desenvolvendo Síndrome de Stevens-Johnson e Necrólise Epidérmica Tóxica após ter uma reação alérgica ao medicamento. O paciente ficou com a aparência de um zumbi. Em recuperação, ele diz que sua esposa, Stacie, de 34 anos, lhe deu amor e suporte para “lutar pela vida”. Atenção: imagens fortes.

O pai de família começou a tomar o antibiótico para tratar uma infecção estafilocócica em sua mandíbula. Agora, o homem está falando sobre os sintomas da reação alérgica para conscientizar outros pacientes que podem sofrer as memas complicações.

Ao fim das duas semanas de antibiótico, Josh começou a sentir coceira. “A primeira coisa que começou a me incomodar foram as minhas unhas. Pareciam que estavam irritadiças por causa de um corte curto demais. Eu sentia muita dor“, relembrou o homem. “No dia seguinte, a sola do meu pé começou a coçar muito. Então, as palmas das minhas mãos passaram pelo mesmo processo“, disse ao The Daily Mail.

Eu acordei no meio da noite com os meus pés queimando e coçando como nunca. Eu quase não conseguia andar“, contou o homem. Para tentar amenizar os sintomas, Josh tomou um banho e foi surpreendido ao perceber que seu corpo estava coberto por urticárias. “Eu não fico doente com frequência. Não fazia ideia do que estava por vir“.

A mulher de Josh tentou controlar a febre do marido. “Eu finalmente decidi que queria tomar banho para que a temperatura caísse. Eu me levantei para sair da banheira e fiquei chocado ao perceber que a pele da sola do meu pé tinha desgrudado. Nós não tínhamos ideia da velocidade com que meus pés estavam criando bolhas“, contou o homem.

Josh, então, decidiu ir ao médico, onde foi diagnosticado com Doença de Kawasaki. A condição do homem piorou após o diagnóstico, com seus olhos ficando roxos e sua pele desenvolvendo bolhas em outras áreas, ficando sensível ao toque. “O meu pai e irmão mais novo tiveram que vir até a minha casa para me carregarem da cama até a caminhonete. Essa experiência já foi traumática por si só“.

Continua após a publicidade

Após 24 horas no hospital, Josh foi diagnosticado com Necrólise Epidérmica Tóxica. O homem disse que ele ficou parecido com um zumbi por causa do dano que a doença provocou em sua pele. No dia 21 de dezembro de 2017, ele passou por uma cirurgia para salvar sua visão. A boca do pai de família foi tão afetada pela condição, que ele não conseguia comer nada “além de macarrão com queijo e ovos” por um tempo.

A pele de Josh, no entanto, começou o processo de cura. Nos primeiros dias de 2018, ele recebeu a notícia de que poderia ir para casa se provasse que conseguiria andar e comer comidas sólidas. Agora, ela está enfrentando o processo de reabilitação: “Fiquei tão feliz quando recebi a alta do hospital, mas é agora que o trabalho de verdade começa. Nós precisamos fazer mudanças muito drásticas de estilo de vida. Não podia tomar banho como tomava. Não podia comer as mesmas receitas que o resto da família. Eu não podia ver muito bem. Eu não pude dirigir por seis semanas, mais ou menos”.

Ele também comenta a experiência traumática. “Ainda é tão estranho saber tudo o que aconteceu, eu não me sinto tão sortudo quando eu deveria. Estou muito melhor. Mas nem em 1 milhão de anos eu imaginei que tudo isso pudesse acontecer por causa de antibióticos. É tão louco, sem aviso, após a primeira vez que eu fui ao médico após cinco anos“.

Eu leio as bulas agora. É incrível quantos produtos eu não vou usar mais por causa dos avisos nas embalagens. Eu conheço melhor o meu corpo e sei o que a minha família está consumindo. É assustador pensar que meus filhos correm algum risco. Não desejo o que enfrentei para o meu pior inimigo“, garante o homem. 

  • Dê sua opinião: E você, o que achou da história assustadora compartilhada pelo homem? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

    Continua após a publicidade
    Publicidade