Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Homem incendeia a própria casa para não entregá-la à ex-mulher

O australiano vivia no chalé desde 1991 e deveria entregar o imóvel para a ex-companheira em 5 de agosto de 2016

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 20 fev 2018, 18h56 - Publicado em 20 fev 2018, 17h37

Krste Kovacevski, um homem de 70 anos, e sua ex-mulher, Naumka Kovacevska, se divorciaram em 2015 após muitos anos separados.  Em 22 de julho de 2016, um juiz concluiu um processo amargo de liquidação de propriedade entre os dois, determinando que o homem deixasse um chalé em Coniston, no Reino Unido, para a ex-companheira. A história da dupla, no entanto, estava longe de chegar ao fim.

O australiano vivia no chalé desde 1991 e deveria entregar o imóvel para Naumka em 5 de agosto de 2016. Krste assinou um acordo de transferência em 3 de agosto. Mas na madrugada do dia 4 de agosto, ele incendiou a própria casa e destruiu a propriedade. De acordo com documentos do tribunal, o homem confessou o crime quando a polícia que atendeu ao chamado o encontrou na garagem, no fundo do terreno: “Eu comecei o incêndio. Ele começou no meio da casa. Eu usei querosene“, o homem contou à polícia.

Ele foi condenado por destruição intencional ou imprudente com fogo da propriedade de posse de sua ex-mulher e sentenciado a dois anos de prisão em setembro de 2017. Foi liberado sob fiança. Nesta segunda (19), o recurso de Krste sobre a sentença foi negado pelo juiz Andre Haesler, do Tribunal Distrital NSW. 

O homem preparou uma longa argumentação na apelação – entre outras coisas, afirmou que a propriedade não pertencia legalmente à sua ex-mulher porque ela ainda não estava em posse da casa quando ela foi incendiada — e que ele tinha o direito legal de queimá-la. “A posse de Naumka Kovacevska à propriedade, seus direitos legais a residência, foram definidos na Corte Federal em 22 de julho de 2016“, escreveu o magistrado após a conclusão do processo. “O conceito de pertence foi confirmado pela execução pelo apelante de um documento de transferência no dia 3 de agosto de 2016“.

O documento revela ainda que, em Nova Gales do Sul, onde a residência estava localizada, é permitido destruir a própria casa legalmente com fogo. Este não é o caso de Krste, já que o imóvel pertencia a ele e à ex-mulher: “Ele fez o que fez para que Naumka Kovacevska não tivesse o benefício total da propriedade que pertencia a ela“, diz a decisão.

As informações são do BuzzFeed.

Dê sua opinião: E você, o que achou da polêmica? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Continua após a publicidade

Publicidade