Cão Zezinho acompanha padre em missa e encanta fiéis em Olímpia

A gravação aconteceu no dia 7, durante a missa de domingo, na Igreja Matriz de São José.

O vídeo de um cãozinho que parece prestar muita atenção às palavras de um padre durante uma missa, gravado em Olímpia, interior de São Paulo, virou fenômeno da internet, com mais de 1 milhão de visualizações em uma semana. O registro, feito pelo jornalista Leonardo Concon, mostra o animal apelidado de Zezinho se levantando sobre as patas traseiras na hora da comunhão, como se também quisesse receber a hóstia. A gravação aconteceu no último dia 7, durante a missa de domingo, na Igreja Matriz de São José. Fiéis da igreja se encantaram com a história do animalzinho.

O jornalista, editor do jornal Diário de Olímpia, contou que a presença do cãozinho próximo do altar, acompanhando atentamente os gestos e palavras do celebrante, padre Ivanaldo Mendonça, chamou sua atenção. “Ele não desgrudava do padre nem um instante e, no momento de entrega de hóstias, parecia querer uma também, chegando até a se erguer em duas patas”, descreveu. Concon gostou das imagens e postou em sua página na rede social Facebook. Em cinco dias, o vídeo de oito minutos já havia ultrapassado os 54 mil compartilhamentos. Neste domingo, 14, passava de 1,1 milhão de visualizações. Assista: 

Leonardo contou que o animalzinho acompanha o padre há quase um mês. Durante a missa, à noite, Zezinho esteve ao lado do sacerdote desde a recepção aos fiéis na porta da igreja, até o final da celebração. Conforme o jornalista, o cão tem dono, mas passou a seguir o padre depois que Ivanaldo o alimentou e deu carinho. O padre também compartilhou o vídeo de Zezinho em seu página na rede social, chamando-o de “criatura de Deus”. Ele disse que, na verdade, se considera “adotado” pelo cãozinho, um “ser muito carinhoso”.

Em Bertioga, litoral de São Paulo, a cadela Dara é tratada como heroína após ter avançado contra uma serpente venenosa que se preparava para atacar seu dono, na noite de sexta-feira, 12. A cobra, uma jararacuçu, estava no quintal da casa do agente de saúde Paulo Eduardo Rodrigues, mas ele não a tinha visto. A cobra acabou picando o focinho da cachorra. ‘Dara’ recebeu atendimento veterinário e passa bem. A jararacuçu, temida pela alta concentração de seu veneno, foi recolhida pelo Corpo de Bombeiros e libertada em área de floresta da Serra do Mar.

Dê sua opinião: E você, o que achou da história inusitada? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s