Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Blog do Miguel Por Miguel Barbieri Jr. Fique por dentro das melhores dicas de filmes e séries.

Quatro documentários indicados ao Emmy que são melhores do que o vencedor

Entre os filmes está A Inventora, que pode ser visto na HBO, pelo NOW, ou na HBO GO

Por Miguel Barbieri Atualizado em 19 set 2019, 20h20 - Publicado em 19 set 2019, 18h02

A premiação do Emmy, o Oscar da TV, é neste domingo (22), mas em algumas categorias já têm os vencedores. Uma delas é a de melhor documentário. Levou o prêmio o polêmico Deixando Neverland, da HBO, que enfoca nos depoimentos de dois rapazes que dizem ter sido abusados sexualmente, quando criança, pelo cantor Michael Jackson. Eu gosto, embora seja longo.

Prefiro, contudo, os outros quatro indicados, que estão disponíveis em plataformas distintas: HBO, Canal Off (ambos pelo NOW) e Netflix.

A Inventora — À Procura de Sangue no Vale do Silício enfoca a desastrosa trajetória de Elizabeth Holmes. Estudante da Universidade Stanford, ela achou que revolucionaria o ramo dos laboratórios médicos criando uma máquina que, com apenas uma gota de sangue do paciente, realizasse diversos exames. Com o apoio de investidores pesados, criou a Theranos. Por intermédio de entrevistas com seus ex-funcionários e jornalistas, o registro mostra como o sonho de uma idealista ambiciosa virou um descomunal pesadelo. HBO pelo NOW ou HBO GO.

Como revela o título, Jane Fonda em Cinco Atos é dividido em capítulos. Os quatro primeiros focam a relação da atriz com seu pai, o ator Henry Fonda, e com seus três ex-maridos, Roger Vadim, Tom Hayden e Ted Turner. A última parte, que leva seu nome, é seu desabafo, o momento em que ela se liberta dos homens de sua vida para, já septuagenária, dar um tempo para si mesma. O filme é um registro confessional em primeira pessoa, que repassa a carreira da estrela no cinema e também seu lado ativista, que permanece até hoje. HBO pelo NOW ou HBO GO.

Jane em Fonda em Cinco Atos: a atriz, a ativista e a esposa Divulgação/Divulgação

Minding the Gap é o primeiro e surpreendente trabalho como diretor de Bing Liu, americano de origem chinesa. Além de realizador, ele é também personagem do filme, junto dos amigos Keire e Zack (foto). Os três se uniram pela paixão pelo skate, na pequena cidade de Rockford, em Illinois, e tinham muitas coisas em comum: família desestruturada, empregos temporários, falta de estudo. O filme, então, enterra o “american dream” ao abordar temas como violência doméstica, alcoolismo, abandono de lar — e somente por meio do trio central. Canal Off pelo NOW.

Os amigos de Minding the Gap: paixão pelo skate e famílias desestruturadas Divulgação/Divulgação

Em Fyre Festival, o rapper Ja Rule foi o chamariz e parceiro de Billy McFarland, um empresário do ramo da tecnologia, para um empreitada arriscada: realizar um festival de música para vips numa ilha deserta do Caribe, em 2017. O resultado foi assustadoramente decepcionante.

  • Quer me seguir nas redes sociais? Anote: 

    Facebook: facebook.com/paginadoblogdomiguel
    Twitter: @miguelbarbieri
    Instagram: miguelbarbieri
    YouTube: Miguel Barbieri Jr. 

    Continua após a publicidade
    Publicidade