Clique e assine por apenas 5,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

O que aconteceu com Liminha, assistente de palco do Gugu?

Animador de palco era fiel escudeiro do apresentador em programas no SBT

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 17 out 2020, 18h44 - Publicado em 17 out 2020, 18h42

Na carteira de identidade, o nome dele é Ailton Sampaio Lima. Para os espectadores do programa de Gugu Liberato, falecido em 2019, ele é simplesmente o Liminha. De animador de palco, o paulistano, da Vila Matilde, na Zona Leste, se tornou um personagem  famoso na atração de Gugu, de jeito extrovertido e irreverente.

Liminha começou no SBT em um cargo chamado apontador de produção. Sua responsabilidade era anotar  nome e função de quem saía da emissora. Ao conhecer Gugu, sua vida deu uma guinada. Depois que seu antigo cargo foi extinto, ele foi indicado por Gugu, naquela época produtor, para trabalhar no departamento Musical. Escapou do desemprego graças o seu futuro amigo.

Com o tempo, foi ganhando a confiança de Sílvio e tornou seu auxiliar. As brechas nas agendas eram dedicadas aos programas de Gugu. Quando apresentador saiu do SBT em 2009, preferiu ficar por lá. Hoje é diretor de palco do Programa Silvio Santos e se divide entre São Paulo e Belo Horizonte, já que sua esposa, a dentista Fernanda Fiuza mora na cidade mineira. Eles estão juntos há onze anos. 

Fernanda mudou sua vida profissional por conta de Liminha, que em 2018 teve uma paralisia facial, conhecida como Bell. A dentista passou a estudar essa patologia e junto com o marido criou o projeto Sorriso Bello, que atende gratuitamente pessoas que têm o mesmo problema. 

 

Continua após a publicidade
Publicidade