Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

O antigo programa Vila Sésamo

O inesquecível programa para crianças em idade pré-escolar da TV brasileira

Por Roosevelt Garcia Atualizado em 12 fev 2018, 15h39 - Publicado em 12 fev 2018, 15h30

Foi em 1972 que começaram as transmissões coloridas de TV no Brasil. Apesar disso, um dos maiores sucessos da época foi totalmente produzido em preto&branco. Era o programa Vila Sésamo, uma co-produção entre a Rede Globo e a TV Cultura de São Paulo.

Vila Sésamo foi a primeira adaptação do original Sesame Street fora dos Estados Unidos. A ideia foi de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, diretor da Central Globo de Produções naquela época. O programa seguiria os mesmos caminhos do original, dando ênfase à alfabetização de crianças em idade pré-escolar, mas com adaptações que o tornavam mais brasileiro, a começar pelo nome, que deveria ser “Rua Sésamo”, se fosse fiel ao original, mas uma “vila” dava mais a ideia de um espaço bem brasileiro onde todo mundo se conhecia e as crianças brincavam na rua.

Assim, personagens tipicamente brasileiros, como a professorinha Ana Maria (vivida por Sônia Braga) e o Seu Almeida da venda (Manuel Inocêncio) ensinavam às crianças noções de Matemática e Língua Portuguesa, numa linguagem simples e divertida. O programa era gravado nos estúdios ds TV Cultura, e o elenco todo era da Globo, que incluía Armando Bógus, Aracy Balabanian e Flávio Galvão.

Os bonecos que interagiam com os atores, como Garibaldo e Gugu, eram adaptações dos originais americanos, mas foram totalmente produzidos também no Brasil. Garibaldo, inspirado no original Big Bird americano, era todo azul. O programa era em preto e branco, mas podemos ver a cor dele em fotos promocionais da época. O personagem original era na verdade amarelo, mas dizem que a opção pela cor azul na versão nacional se deu por conta do programa ser em preto&branco, e uma cor escura contrastaria melhor na telinha. Outra versão diz que o original brasileiro também era para ser amarelo, mas o resultado final ficou tão ruim, que resolveram pintá-lo de azul. O mal humorado Gugu, por sua vez, era inspirado no original Oscar. Nossa versão é bem maior que a original, e não tão mal humorado.

Comparação entre os personagens Garibaldo e Gugu. Os da esquerda são os da versão nacional, os da direita são os originais americanos Reprodução/Veja SP

 

Continua após a publicidade

Todas as animações que envolviam Matemática eram as mesmas do original americano, e dubladas no estúdio AIC São Paulo. As animações de Português eram produzidas na Globo, pelo lendário Joaquim 3 Rios, animador por trás de diversas vinhetas da emissora e comerciais animados. E todos os quadros com os bonecos do estúdio de Jim Henson, usados na versão original americana, foram mantidos e dublados também na AIC. Os mais famosos e lembrados dessa geração são sem dúvida os primos Ênio e Beto, o monstro Come-Come, que era louco por biscoitos, e o desajeitado Cosmo, sempre disposto a aprender o significado das palavras. Juntam-se a eles toda um infinidade de personagens marcantes, muitos reaproveitados depois na série Muppet Show, do próprio Jim Henson.

 

Continua após a publicidade

Ênio e Beto, num vídeo remasterizado e com a dublagem original da época

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

Vila Sésamo durou de 1972 a 1974 em seu formato original no Brasil. Depois disso, a Rede Globo assumiu toda a produção, e algumas coisas mudaram no programa, a começar pela abertura, e também a inclusão de novos personagens. Ficou no ar até 1977, quando venceu o contrato de direitos autorais.

Em 2007, a TV Cultura conseguiu renovar o contrato e trouxe Vila Sésamo mais uma vez ao Brasil, num novo formato, e com todas as cores que o programa tem direito, mas na memória das crianças dos anos 70, o antigo Vila Sésamo, com todas as suas limitações, continuará sempre imbatível.

 

Continua após a publicidade

Programa completo da fase produzida pela TV Cultura

 

Continua após a publicidade

Abertura da fase produzida pela Rede Globo

 

Continua após a publicidade
  • Continua após a publicidade
    Publicidade