Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

Como foi a festa da Toco na Audio

O revival da lendária casa da Vila Matilde, na Zona Leste, nos fez viajar no tempo

Por Roosevelt Garcia Atualizado em 4 set 2017, 22h08 - Publicado em 4 set 2017, 18h34

Já falei aqui no Memória sobre como a danceteria Toco foi importante para o cenário musical de São Paulo. Vinte anos depois do fim das atividades da casa, os fãs e frequentadores ainda falam sobre a experiência de ter ido lá. O local influenciou a vida noturna na capital, formou grandes DJs e, é claro, fez alegria de muitos frequentadores.

Pista da Audio Club na festa da Toco Acervo/Veja SP

No último sábado, dia 2 de setembro, tive a oportunidade de ir à festa da Toco na Audio, na Barra Funda. Acreditem: voltei trinta anos no tempo. Não só eu, como tenho certeza de que a maioria das pessoas que lotaram aquela festa era árduo frequentador da lendária danceteria, ou já tinha ouvido muitas histórias sobre ela.

Foi muito legal ver gente que normalmente não vai a lugares como esse se soltando na enorme pista, e revivendo as dancinhas sincronizadas que tanto faziam sucesso nos tempos da Vila Matilde. Pessoas que, do alto dos seus 40 e poucos, 50 anos, preferem uma maratona de séries no Netflix, mas que abriram uma exceção para reviver mais uma vez a experiência desse templo da dance music. Todo mundo estava lá, não só pelo show do Information Society, relembrando grandes sucessos, mas também pelo revival do clima da Toco, daquele sentimento que todo mundo tinha quando aquele enorme globo de luzes começava seu show. De novo foi assim. As pessoas foram à loucura quando os lendários DJs Vadão, Cadico e Ricardo Crunfli dispararam os hits mais dançantes de todos os tempos. A casa veio abaixo quando começou a tocar You Get Me Hot, do Jimmy Bo Horne e Girls Just Want To Have Fun, da Cindy Lauper. A certa altura da noite, até as danças em passinhos sincronizados estava impossíveis de serem realizadas, porque simplesmente não havia mais espaço pra gente se mexer.

Paralelamente, exposições nos faziam viajar no tempo ainda mais, com uma mostra de brinquedos antigos da Estrela, máquinas de fliperama e painéis com fotos da história dos anos de glória da Toco. Os ambientes da Audio são muito bem definidos, e a organização merece um elogio à parte: dificilmente se via alguma fila pra alguma coisa, mesmo com a casa completamente lotada.

Exposição de brinquedos antigos da Estrela Acervo/Veja SP

Foi uma experiência que, sem dúvida, fará a Toco ser lembrada por mais vinte anos. Mas, senhores organizadores, não precisam esperar tudo isso pra outra festa como essa. Queremos outra no ano que vem!

Continua após a publicidade

Alguns momentos do evento:

  • Continua após a publicidade
    Publicidade