Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

10 brinquedos antigos que todos queriam, mas hoje ninguém lembra

No tempo em que as crianças gostavam de brincar na rua, essas engenhocas faziam um tremendo sucesso

Por Roosevelt Garcia Atualizado em 25 fev 2017, 20h00 - Publicado em 14 fev 2017, 18h29

#10 – Bat Beg

bbeg

Verdadeiro gerador de hematomas, esse brinquedo virou uma mania tão unânime nos anos 70 que era difícil andar pela rua e não deparar com alguém tentando fazer as bolinhas baterem o maior tempo possível – mas invariavelmente acertando o braço com uma delas. As bolinhas acrílicas eram as mais bonitas, as que tinham um som mais legal, e as que mais doíam no nosso pobre antebraço. Tentaram ressuscitar o brinquedo muito tempo depois, mas o sucesso não chegou nem perto do anterior.

#9 – Pinos Mágicos

(Reprodução/Flickr)
(Reprodução/Flickr)

Apesar de ainda serem facilmente encontrados, os pinos mágicos surgiram numa época pré-Lego, pelo menos no Brasil. Este brinquedo foi o primeiro desse gênero a aparecer por aqui, e já nos anos 70 era um dos maiores pedidos dos pequenos no Natal e no Dia das Crianças. Dava pra fazer de tudo com ele, desde que não se fosse muito exigente com a forma final!

#8 – Vai-Vem

vai-vem

Crianças de hoje em dia são muito musculosas… nos dedos, de tanto mexer em computadores, games e celulares. Mas em eras passadas, no tempo em que as crianças gostavam de brincar na rua, o Vai-Vem fazia um tremendo sucesso. Era um brinquedo simples, barato, e que podia ser usado de diversas maneiras. Trata-se de uma peça em forma de bola de futebol americano, atravessada por dois fios de nylon bem longos, e nas pontas de cada fio, manoplas. A ideia era manter os fios esticados, e ir empurrando a bola para o oponente simplesmente abrindo os braços. Se estivesse sozinho, era só prender um dos lados em um lugar alto, empurrar a bola e deixar que a gravidade a trouxesse de volta.
Dava pra se divertir fazendo ginástica!

#7 – Tufão e Furacão

tufao-furacao
Reprodução/Mercado Livre

Carrinhos movidos a cremalheira, era só puxar com bastante força que e eles saíam em alta velocidade pelo chão. Eram bastante modernos para a época, a começar pela pintura metálica. Depois do sucesso, a Estrela lançou outros produtos na mesma linha, como a moto Ciclone, e o Tufão com o Pato Donald como piloto.

#6 – Forte Apache

forte-apache
Reprodução/Blogspot

A Brinquedos Gulliver lançou, entre 1970 e 1990, diversas versões deste brinquedo pra molecada que gostava de filmes de faroeste. O Forte era totalmente plástico, mas suas peças se encaixavam bem, imitando madeira, e permitiam até mudar um pouco a configuração do forte montado. Os soldados e índios, que hoje seriam chamados de action figures, tiveram diversas versões de acabamento, desde um azul ou vermelho totalmente monocromático, até figuras mais detalhadas, nas versões mais recentes.

Continua após a publicidade

#5 – Merlin

merl
Reprodução/Blogspot

O primeiro jogo eletrônico da nossa lista surgiu em 1981, quando a geração tecnologia já começava a despontar. Era uma espécie de mini-computador com 6 jogos diferentes e vários níveis de dificuldade. Uma extensa campanha de marketing naquele ano, mais notadamente em revistas em quadrinhos, esperava atingir em cheio as crianças para o Natal. Depois de relativo sucesso, mas aquém do esperado, o jogo sumiu do mercado, principalmente porque nos anos seguintes, o vídeo game já apareceria como o maior desejo das crianças daquela época.

#4 – Tamagotchi

tamagotchi
Reprodução/Blogspot

Os bichinhos virtuais foram verdadeira coqueluche no Brasil no início dos anos 2000. Era um aparelhinho que imitava um animal de estimação de verdade, portanto a gente tinha que cuidar dele direito, alimentando, dando carinho, e brincando com ele. Tão rápido quando apareceu, essa mania sumiu poucos meses depois, assim que os bichinhos começaram a morrer por falta de cuidados…

#3 – Pega Pega Trol

trol
Reprodução/OLX

Uma cidade pequena, caminhos com cruzamentos e alguns desvios ajustáveis. Dois calhambeques que andam muito rápido, e está formada a brincadeira. O Pega Pega era muito legal, e o desafio era ficar mudando os desvios pra que os carrinhos não colidissem (ou o contrário, dependendo do seu humor no dia).

#2 – Pense Bem

pense-bem
Reprodução/Blogspot

Esta é a evolução do brinquedo eletrônico nos anos 80. O Pense Bem era realmente um computador (usava um processador de verdade), e vinha com alguns jogos pré-programados, outros que a gente podia comprar à parte, com livros explicativos e personagens já conhecidos das crianças, como o Sonic e a Turma da Mônica.

#1 –Aquaplay

Reprodução/Mercado Livre
Reprodução/Mercado Livre

Menos é mais. Este brinquedo de princípio simples divertiu crianças e adultos por décadas. Consistia em um pequeno compartimento de água, com peças plásticas dentro, e um botão, que injetava ar dentro do compartimento. O desafio era colocar as argolas ou bolas em determinado lugar, conforme o tipo de jogo. No início, eram apenas 3 tipos: Argolinhas, Basquete e Futebol, mas logo apareceram outros desafios, e até uma versão menor do brinquedo, chamada de Mini-Aquaplay.

Continua após a publicidade
Publicidade