Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

A linha de ônibus mais radical que São Paulo já teve

Coletivo rodava vários bairros da cidade e viagem completa tinha mais de seis horas de duração

Por Roosevelt Garcia Atualizado em 27 mar 2017, 18h50 - Publicado em 27 mar 2017, 18h39

Muito antes do atual ônibus turístico que leva pessoas a pontos importantes da nossa cidade, houve uma linha regular que era usada principalmente por pessoas que queriam conhecer a cidade. Foi o famoso e inesquecível Circular Interbairros, linha 222T, da CMTC.

Em 1986, na administração do prefeito Jânio Quadros, a secretaria de transportes criou uma linha que pretendia ligar os bairros da periferia de São Paulo, circundando toda a cidade sem passar pelo centro. O ônibus saía de Santana e seguia no sentido anti-horário pela cidade, percorrendo os bairros de Frequesia do Ó, Vila Leopoldina, Jaguaré, Vila Sônia, Morumbi, Santo Amaro, Interlagos, Jabaquara, Ipiranga, Sacomã, Vila Prudente, Sapopemba, Água Rasa, Tatuapé, Vila Maria, até voltar finalmente a Santana, num trajeto de mais de seis horas. Era como um “rodoanel” de ônibus.

CMTC

Os maiores usuários dessa linha não eram pessoas que usavam o ônibus pra trabalhar ou estudar. Existem inúmeros relatos de avôs levando seus netos, famílias inteiras com crianças e até jovens que apostavam entre si quem conseguiria dar a volta completa na cidade, tudo isso pelo preço de uma tarifa normal de ônibus urbano. Os veículos, aliás, eram ônibus comuns, só que mais novos e confortáveis. Isso deixava a viagem bem menos incômoda, apesar de durar uma eternidade. Felizmente, ou infelizmente, a linha foi tirada de circulação em menos de um ano, mas ficou marcada como a mais radical que esta cidade já teve. Se ela não era muito útil para a população, pelo menos foi uma grande fonte de aventura pra muita gente!

 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade