Hoje é dia de malbec

Entenda mais sobre essa variedade, que ganhou seu seu auge na Argentina

O Malbec World Day (Dia Mundial do Malbec) é celebrado há oito anos com eventos ao redor do planeta. A data escolhida foi 17 de abril pois foi neste dia, mas em 1853, que o governador de Mendoza, Pedro Pascual Segura, aprovou um projeto que visava melhorar os vinhos argentinos através do plantio de novas variedades de uvas. Entre elas, estava a malbec, recém chegada da França.

A malbec nasceu em Bordeaux há alguns séculos, mas se desenvolveu mais na região francesa de Cahors. Com a Phylloxera, uma praga que dizimou os vinhedos europeus no século XIX, a malbec foi quase apagada de Bordeaux. Hoje em dia, ela ainda existe na região, embora seja rara.

Lá, nunca foi realmente muito plantada. Os châteaux tinham um máximo de 10% de malbec para ser usada em cortes com o papel de suavizar o cabernet sauvignon.

No Cahors, pelo contrário, a malbec é obrigatória em mínimo de 70% nos cortes. Na Argentina, a malbec chegou em 1852 de Bordeaux, e não do Cahors. A variedade se adaptou esplendidamente no país da América do Sul.

O TERROIR IDEAL PARA A MALBEC

A malbec precisa de muito sol, solos secos, pouca chuva e clima frio/fresco para que seu amadurecimento seja lento e longo (proporcionando taninos mais maduros, finos e doces). Precisa também de amplitude térmica diária para que a diferença de temperatura gere cascas mais grossas nas uvas e, consequentemente, mais cor e corpo nos vinhos. Em outras palavras, o clima ideal para a malbec é na Argentina, onde:

– os vinhedos ficam em geral a mais de 1 mil metros de altitude

– a amplitude térmica diária pode chegar a quase 30ºC

– os terrenos são áridos e o clima é desértico, com apenas 200mm de chuvas ao ano (enquanto em Bordeaux pode chover mais de 900mm).

Outro fator a favor da malbec Argentina é a idade média dos vinhedos. Cerca de 60% dos vinhedos argentinos têm mais de 25 anos de idade, o que é raro e se traduz em qualidade, resultando em vinhos mais encorpados, profundos e complexos.

QUAL O GOSTO DE UM MALBEC

A malbec pode gerar todo tipo de vinho, do rosé aos tintos leves, vinhos de sobremesa e mesmo espumantes. O mais emblemático, entretanto, é o malbec tinto encorpado.

COR: é quase roxo, rubi muito escuro com reflexos violáceos (se jovem).

AROMA

Frutas: os malbecs argentinos costumam ser exuberantes nos aromas de frutas, com muitas frutas negras (ameixas, amoras principalmente) bem maduras, às vezes lembrando geleias. Os do Cahors lembram mais frutas frescas, não tão maduras.

Flores: violeta é um dos aromas típicos do malbec argentino, menos evidente nos exemplares do Cahors.

Vegetais/ervas: tabaco é um aroma da malbec mais comum nos exemplares do Cahors. Podemos também ter aromas verdes/herbáceos ou mentolados.

Especiarias: baunilha, alcaçuz

Madeiras: carvalho

Tostados: café, chocolate

SABOR

Doçura: quase sempre os malbecs estarão na categoria “seco”, com poucos gramas de açúcar residual (1 a 5), mas com sensação de maciez dada pelo álcool alto e acidez moderada.

Acidez: aqui está uma grande diferença do malbec argentino para o francês. O argentino geralmente tem acidez moderada e o francês mais alta.

Corpo: geralmente tintos que vão do encorpado ao muito encorpado.

Álcool: na Argentina raramente um malbec terá menos de 13,5% de álcool, podendo chegar aos 17%. Na França estes números são mais baixos, ficando geralmente entre 12% e 14%

MALBEC NO MUNDO

Sobre a Argentina já falamos bastante, lá estão os malbecs típicos do novo mundo, densos e encorpados. Em sua região de origem, Bordeaux, a malbec é muito pouco plantada. O Cahors produz excelentes exemplares, alguns chegam a grandes vinhos, finíssimos. Em estilo mais clássico do velho mundo, os malbecs de Cahors lembrarão mais um Bordeaux que um Malbec Argentino.

Fora estes países a malbec ainda é pouco plantada, mas começa a ser disseminada, graças ao sucesso argentino. Chile, Austrália e Brasil são alguns dos países que estão investindo na malbec, com ótimos resultados.

VINHOS

Em recente visita a Argentina tive o privilégio de visitar bodegas em várias regiões, provar centenas de vinhos in loco e comprovar o atual estado da indústria de vinhos do nosso pais irmão. Acompanho os vinhos argentinos com visitas ao país desde o início dos anos 2000, ou seja, há quase 20 anos. A evolução é notável.

Nesta viagem provei quase 300 vinhos, destes a maioria malbec. Segue abaixo uma lista dos malbecs que mais gostei, com notas de 90 pontos ou mais.

NOTA – PRODUTOR – VINHO – REGIÃO

97 – Catena, Adriana Vineyard River Stones Malbec 2014, Gualtallary

97 – Zuccardi, Piedra Infinita Malbec 2014, Paraje Altamira

96 – Matervini, Piedras Viejas 2016, Las Heras

96 – Pyros Malbec Single Vineyard Block 4 2014, Pedernal

96 – Escorihuela Gascón, DON 2015, Mendoza

96 – Viña Cobos Bramare Malbec Zingaretti Estate 2015, Valle de Uco

96 – Catena, Adriana Vineyard Fortuna Terrae Malbec 2014, Gualtallary

96 – Zuccardi, Poligonos de Valle de Uco San Pablo 2016, Valle de Uco

96 – Zuccardi, Concreto 2017, Altamira

95 – El Porvenir, Laborum Malbec Finca Alto Los Cuises 2017, Cafayate

95 – Benegas, Finca La Encerrada Malbec 2017, Mendoza

95 – Zuccardi. Poligonos de Valle de Uco Paraje Altamira 2016, Valle de Uco

95 – Zuccardi, Poligonos de Valle de Uco Tupungato Alto 2016, Valle de Uco

94 – El Porvenir, Laborum Malbec Finca Alto Rio Seco 2016, Cafayate

94 – Lamadrid Single Vineyard Gran Reserva Malbec 2013, Agrelo

94 – Alta Vista Terroir Selection Malbec 2015, Mendoza

94 – Catena, Malbec Argentino 2015, Mendoza

93 – Familia Schroeder, Saurus Barrel Fermented Malbec 2017,Patagônia

93 – Estancia Uspallata Malbec 2015, Uspallata

93 – Matervini, Antes Andes Vinã de Canota Malbec 2015, Las Heras

93 – Fuego Blanco Flintstone Malbec 2015, Pedernal

93 – Pyros Malbec 2016, Pedernal

93 – Durigutti Reserva Malbec 2017, Mendoza

93 – Familia Cechhin Malbec 2005, Maipú

93 – Finca Sophenia Malbec 2017, Tupungato

93 – Huentala Wines, Gran Sombrero Malbec 2015, Gualtallary

93 – Lagarde, Primeras Viñas Malbec 2014, Mendoza

92 – Wapisa Malbec 2015, Patagônia

92 – El Esteco Malbec Fincas Notables 2015, Cafayate

92 – Escorihuela Gascón,Pequeñas Producciones Malbec 2016, Mendoza

92 – Catena Alta Malbec 2004, Mendoza

92 – Catena Zapata Nicasia Vineyard 2005, Altamira

92 – Vicentin, Colosso 2015, Mendoza

92 – La Celia Heritage Malbec, 2013, Valle de Uco

91 – Amanecer Andino, Malbec Reserva 2017, Jujuy

91 – Vallisto Malbec 2014, Cafayate

91 – Diamandes de Uco Malbec 2014, Valle de Uco

91 – Lagarde, Guarda Malbec 2016, Luján de Cuyo

91 – Alfredo Roca Reserva de Familia Malbec 2014, Mendoza

90 – Malma Malbec Finca La Papay 2018, Patagônia

90 – Durigutti, Proyecto Las Compuertas 2017, Las Compuertas

90 – Lamadrid Single Vineyard Reserva Malbec 2015, Agrelo

90 – Antigal, Uno Malbec 2015, Mendoza

Espero que tenham gostado das dicas e sugestões! Volte sempre e deixe seu comentário.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s