Clique e assine com até 89% de desconto
Liquidação e Cia. Por Daniela Giorno A diretora de arte Daniela Giorno dá dicas de compras, promoções, achados e lojas.

Dicas para identificar bolsas de grife autênticas

Sócia do site Etiqueta Única, Patrícia Niemeyer Sardenberg explica como pequenos detalhes podem ajudar na hora de avaliar uma peça de marca usada

Por Sophia Braun Atualizado em 31 jan 2018, 18h53 - Publicado em 31 mar 2016, 16h10

O mercado de itens seminovos ganha cada vez mais força na cidade. Para a sorte dos compradores de brechó, as emblemáticas (e empoeiradas) lojinhas se desdobraram em butiques modernas e até em sites e aplicativos.

Nesse cenário, a revenda de artigos de luxo se consolidou como filão. Diversas lojas (físicas e on-line) se especializaram em oferecer apenas bolsas, sapatos e mais acessórios de grifes sonoras como Chanel, Gucci e Louis Vuitton, todos de segunda mão.

  • Os preços cobrados nesses casos, claro, são frações dos praticados pelas lojas oficiais, o que torna mais fácil aceitar um arranhãozinho ou outro na peça. Difícil mesmo costuma ser confiar na autenticidade dos itens. E se o modelo for uma réplica bem-feita do original?

    Para driblar a insegurança do público, o Etiqueta Única, por exemplo, disponibiliza junto aos seus produtos um certificado de autenticidade garantindo a originalidade da peça.

    O site oferece também o serviço de autenticação caso você tenha dúvida se algum produto que possui é original ou não.

    Abaixo, a sócia da marca, Patrícia Niemeyer Sardenberg, ensina como identificar bolsa originais de três grifes cobiçadas: 

    Louis Vuitton NEVERFULL GM definitiva

    LOUIS VUITTON

    Materiais e estampas

    ■ O couro utilizado para fabricação das bolsas é de excelente qualidade, apresentando um desgaste característico com o uso;

    ■ Muitas bolsas são elaboradas com tecido de algodão. O canvas (lona, em inglês) passa por diversos processos de tratamento para fortalecer a durabilidade e garantir a impermeabilidade;

    ■ As alças e acabamentos são sempre apresentados em couro legítimo;

    ■ O monograma da marca sempre forma uma estampa alinhada e simétrica. Verifique o encontro das estampas nas costuras e aplicação de bolsos.

    Metais, fechos e costuras

    ■ Verifique se os fechos e puxadores dos zíperes possuem inscrição com a logomarca;

    ■ Atente-se ao funcionamento dos zíperes presentes na bolsa. A marca realiza milhares de testes para garantir o padrão de qualidade do material;

    ■ Os pespontos (ou ponto-atrás) possuem o mesmo número de costuras dos dois lados das alças;

    Código de autenticidade e etiquetas

    ■ Os códigos de autenticidade, presentes no interior dos produtos, possuem letras e números. Podem ser apresentados de diferentes formas: em uma etiqueta interna ou gravado diretamente no forro, seja ele de couro ou outro material;

    ■ Atualmente, os produtos são fabricados na França, Estados Unidos, Itália, Espanha e Alemanha.

    Chanel classica 255

    CHANEL

    Materiais

    ■ As bolsas  são produzidas em couro de carneiro ou couro caviar;

    Continua após a publicidade

    ■ Se encontrar resíduos de cola no couro, atenção! As réplicas são coladas, enquanto as originais são todas costuradas;

    Metais, fechos e costuras

    ■ Modelo 2.55: o fecho é retangular (sem o logotipo da marca) e a alça é uma corrente composta por três elos metálicos entrelaçados;

    ■ Modelo Flap clássico (foto acima): possui fecho com a logomarca (duas letras C sobrepostas) e alça de corrente com couro entrelaçado;

    ■ Logotipo: observe a sobreposição da letra C no fecho das bolsas. As originais apresentam o C da direita sobre o C da esquerda na parte superior. Na parte inferior, o C da esquerda aparece sobre o da direita;

    ■ Na parte de trás do fecho, no interior da bolsa, encontram-se duas palavras: Chanel (à esquerda) e Paris (à direita);

    Código de autenticidade e etiquetas

    ■ Relevo matelassê: nota-se o encaixe perfeito dos padrões em todos os ângulos – no encontro da aba da bolsa com o corpo, nas laterais e na aplicação de bolsos;

    ■ Na parte interna da bolsa, a logomarca da Chanel está centralizada e gravada em folha de alumínio da cor dos metais;

    ■ A etiqueta, o adesivo e o design do holograma variam de acordo com a data de fabricação. As produções mais recentes, a partir do ano 2000, contam com adesivo revestindo a etiqueta. Esse adesivo possui um leve brilho (como purpurina), corte nas transversais e o número de série, que varia entre sete e oito dígitos. Esse número é exatamente o mesmo do cartão de autenticidade que vem acompanhando a bolsa.

    Guicci Original GG

    GUCCI

    Materiais

    ■ Todos os produtos são fabricados com tiras de couro legítimo;

    ■ Os pespontos devem estar alinhados e perfeitos;

    ■ As letras G que formam o padrão das peças da marca devem estar visíveis e padronizadas, e não borrados ou cortados. As bolsas em couro possuem o GG marcado no couro, formando uma estampa, nunca impressos em cima da superfície do produto;

    Metais, fechos e costuras

    ■ Os metais e fechos devem ser pesados e muito bem feitos. Normalmente, possuem a logomarca inscrita. Os zíperes podem ser de plástico ou metal. Neste último caso, devem ter o nome da Gucci gravado.

    Código de autenticidade, etiqueta e embalagem

    ■ O número de cada peça está na parte de trás da etiqueta interna (o número superior indica o código do modelo da bolsa). Para os modelos atuais, esse número possui seis dígitos. A logomarca da Gucci deve estar limpa e precisa, além de possuir o inscrito “Made in Italy” embaixo.

    ■ As embalagens mais antigas eram pretas e prateadas. Depois, foram trocadas para cor de mel e, agora, as mais recentes possuem tom marrom escuro.

    Continua após a publicidade
    Publicidade