Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
A Tal Felicidade Saúde, bem estar e alegria para os paulistanos

O outro é importante para a nossa vida

Mariana Amaral diz que não é mais possível vivermos sozinhos em bolhas esperando o tempo passar

Por Mariana Amaral Atualizado em 2 out 2020, 01h41 - Publicado em 2 out 2020, 01h42

BAGAGEM EMOCIONAL deveríamos aprender a lidar com as nossas emoções desde a pré-escola, até antes. Sem entender o que estou sentindo não dá. faço uma prática diária de check-in interno. Me pergunto: “O que estou sentindo agora?”. Dou um nome e penso nisso durante o meu dia. O primeiro passo é o reconhecimento do que acontece aqui dentro.

MENOS EGOÍSMO, MAIS COLETIVO felicidade é a nossa capacidade de estar cada vez mais presentes, vivendo o agora. Claro que temos de nos unir para recriar, regenerar, repensar o futuro. como vamos nos reinventar, todo nós? Acredito no processo compartilhado. Se todos estamos querendo fazer diferença, é juntos que vamos atrás desse mundo menos individual e mais coletivo.

O OUTRO IMPORTA Quanto estamos sonhando com reencontros? Com abraços? A própria situação atual nos mostrou quanto o outro é importante na nossa vida. São Paulo está entre as cidades mais ansiosas do mundo — e uma epidemia de depressão está por chegar. Todo mundo vai precisar de ajuda.

DOAÇÃO SINCERA Nós podemos até pensar que não temos o que dar, mas sempre é possível ajudar o próximo. Os vizinhos, os familiares, cada um está vivendo uma crise de uma forma. Se você está lendo este artigo no conforto da sua casa, agradeça. E a melhor forma de agradecer é fazer algo para alguém, não dá mais para vivermos sozinhos em bolhas esperando o tempo passar. A sociedade grita.

MUDAR E SUSTENTAR A partir do momento que o nosso olhar se amplia, começamos a repensar nosso microcosmo. A sustentabilidade começa dentro da gente. Viver em harmonia, respeitando os recursos da terra, gera um impacto. A escolha de práticas mais harmônicas pode começar com a alimentação, a meditação… Fazendo o que nos faz bem, nos sentimos preparados para começar a ajudar ativamente o nosso entorno.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

COMPREENSÃO DOS CICLOS tem dias e dias. cultivar um novo olhar não significa virar Poliana. Problemas vão existir a vida inteira, mas podemos perceber isto: estamos vivos! E vivos, como vamos honrar essa vida da melhor forma possível? Nos momentos de inverno, precisamos saber ficar quietinhos, aguardando passar, mas no verão podemos nos fortalecer e agir.

Continua após a publicidade

POTENCIAL CRIATIVO Não usamos todo o potencial da nossa mente. Para despertar a consciência e todo o seu potencial criativo, é preciso virar uma chave. Só que isso não vai acontecer se estivermos em casa no sofá vendo televisão. Requer autoconhecimento, abraçar as sombras e estar disposto a praticar, aprender a silenciar internamente quando tudo lá fora está uma bagunça.

ROTAS ALTERADAS Imprevistos acontecem e requerem um recalcular de rota. A força interna de acreditar no que está sendo feito é que faz diferença. Posso mudar a rota mas sigo no mesmo destino. Por que estamos aqui, todos os dias? Quando temos uma resposta boa, nos sentimos motivados.

NO CAMINHO Pode ser começar a tocar um instrumento ou buscar se conectar com a natureza, basta a disposição para enxergar a vida de outra forma. É quando começamos a entender as sincronicidades, não há coincidências. entrar nesse fluxo é mais fácil do que lutar contra ele. É quando a felicidade chega com mais facilidade.

Mariana Amaral: o primeiro passo é o reconhecimento do que acontece internamente Karina Burigo/Divulgação

Mariana Amaral é idealizadora da Virada Sustentável, que completa dez anos em 2020, e da Virada Zen. Acredita que o amanhã da paz começa hoje, com cada um de nós.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 07 de outubro de 2020, edição nº 2707

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade