Clique e assine por apenas 6,90/mês
Últimas de São Paulo Por Blog Notícias quentes e bastidores da cidade

Operação na Cracolândia tem novo confronto; ônibus é depredado

A ação de retirada de barracos na região da Cracolândia voltou a registrar conflitos entre usuários de drogas e policiais militares no fim da tarde desta quarta-feira (29). Por volta das 17h30, os dependentes fizeram uma barricada de fogo e atiraram pedras contra os policiais, que revidaram com bombas de gás lacrimogêneo. Houve corre-corre e parte da […]

Por VEJA SÃO PAULO - Atualizado em 26 fev 2017, 16h52 - Publicado em 29 abr 2015, 14h21
Barricada de fogo feita por usuários de drogas na região da Cracolândia (Amauri Nehn/Brazil Photo Press/Folhapress)

Barricada de fogo feita por usuários de drogas na região da Cracolândia (Amauri Nehn/Brazil Photo Press/Folhapress)

A ação de retirada de barracos na região da Cracolândia voltou a registrar conflitos entre usuários de drogas e policiais militares no fim da tarde desta quarta-feira (29). Por volta das 17h30, os dependentes fizeram uma barricada de fogo e atiraram pedras contra os policiais, que revidaram com bombas de gás lacrimogêneo. Houve corre-corre e parte da Avenida Rio Branco chegou a ser fechada. Um grupo tentou atear fogo a um ônibus, mas a polícia impediu o ataque. Outro coletivo foi depredado nas proximidades do terminal Santa Isabel.

Antes, por volta das 13h, outro conflito começou após dois policiais militares à paisana que estavam infiltrados na operação efetuarem três disparos que atingiram duas pessoas. Uma delas, baleada no pescoço, foi levada à Santa Casa e passou por cirurgia e seu estado é estável. A outra foi atingida na perna e não corre riscos.

A Secretaria da Segurança Pública informou que os dois agentes foram agredidos pelos moradores de rua e um deles efetuou um disparo para o chão, que recocheteou e feriu os dois homens. Após os tiros, um dos policiais foi agredido com uma barra de ferro. O advogado Fábio Marcos Cruz, que atua em defesa dos dependentes da Cracolândia, presenciou a ação e diz que os disparos foram intencionais e que o posto policial da região tentou encobrir o caso. Questionada, a secretaria nega que houve prevaricação.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=rEihaXxORZ4?feature=oembed&w=500&h=281%5D

Após os disparos, a polícia e os moradores de rua entraram em conflito e os PMs chegaram a usar bombas de gás lacrimogêneo. Por volta das 17h30, o clima voltou a ficar tenso. Dependentes de droga armaram uma barricada e atearam fogo nela. Depois, começaram a arremessar pedras contra os policiais militares, que devolveram com bombas de gás. 

 

Continua após a publicidade
Cápsula de bala dispara nesta terça, na Cracolândia

Cápsula de bala dispara nesta terça, na Cracolândia

Na manhã desta quarta, a prefeitura começou a remoção de barracos entre a Alameda Cleveland e Rua Helvétia, na Cracolândia. No local, está sendo construída uma praça. Os usuários de crack estão agora aglomerados na Alameda Dino Bueno, nas proximidades do Restaurante Bom Prato. A prefeitura afirma que a medida visa combater o tráfico na região.

Cracolândia: programa da prefeitura tem hotéis insalubres e viciados que recebem sem trabalhar

Em janeiro do ano passado, quando foi iniciado o programa Braços Abertos, a prefeitura também removeu barracos da mesma região. No local, viviam aproximadamente 300 pessoas, em 150 barracos. Os dependentes foram encaminhados a hotéis da região. O Braços Abertos prevê a ressocialização de usuários de crack. Para os que desejam participar, são oferecidos tratamento médico e 15 reais por semana por trabalhos de limpeza de rua.

Em março deste ano, reportagem de VEJA SÃO PAULO acompanhou por um mês o trabalho de varrição de ruas e praças e entrou nos abrigos contratados pela gestão municipal. O programa da prefeitura tem hotéis insalubres e viciados que recebem sem trabalhar. 

Teatro Porto Seguro quer levar um novo público à região da Cracolândia

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Publicidade