Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Bob Fonseca - Cerveja na Mesa Por Blog

O outro lado do intercâmbio

A visita de um cervejeiro estrangeiro no Brasil, com algumas exceções, tem significado a participação dele em alguma receita colaborativa com produtores nacionais. Agora, chegam ao país dois exemplares do “outro lado” desse intercâmbio, fermentadas criadas no exterior com ajuda brasileira. A Hello, my name is Zé, parceria da escocesa Brewdog com os produtores cariocas […]

Por VEJA SP Atualizado em 26 fev 2017, 21h35 - Publicado em 4 jul 2014, 15h47

654654

A visita de um cervejeiro estrangeiro no Brasil, com algumas exceções, tem significado a participação dele em alguma receita colaborativa com produtores nacionais. Agora, chegam ao país dois exemplares do “outro lado” desse intercâmbio, fermentadas criadas no exterior com ajuda brasileira.

A Hello, my name is Zé, parceria da escocesa Brewdog com os produtores cariocas da 2Cabeças, começa a ser vendida neste final de semana no bar da marca, em Pinheiros (Rua dos Coropés, 41). Trata-se de uma India Pale Ale com adição de maracujá, 6,4% de teor alcoólico e 64 unidades de amargor (pelo menos seis vezes mais do que uma “loura” industrial). Garrafa e chope custarão R$16, e o lançamento incluirá pratos especiais e música.

Já a Bodebrown, de Curitiba, produziu uma Pale Ale de 5% com lúpulos americanos e pimenta rosa, na fábrica da inglesa Adnams. A cerveja, batizada de Curitiba Pale Ale, foi inicialmente vendida na rede britânica de pubs JD Wetherspoon. Nas próximas semanas, deve ser vendida no Brasil.

Continua após a publicidade

Publicidade