Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

Exposição traz Antonio Henrique Amaral investigando os limites das formas

Na mostra, gratuita e disponível na Casa Triângulo até 13 de novembro, mais de setenta obras que fogem da fase mais conhecida do artista

Por Tatiane de Assis Atualizado em 23 set 2021, 16h35 - Publicado em 24 set 2021, 06h00

Antonio Henrique Amaral: Pelo Avesso tem curadoria dos cariocas Raphael Fonseca e Pollyanna Quintela. VEJA SÃO PAULO visitou a montagem da exposição no dia 14, quando, entre gravuras e telas ainda no chão, se ouvia Fonseca comemorar que a solução de içar as pinturas apresentadas, ao todo sete, tinha dado certo: “Tem de ir para o espaço, não dá para ficar só no papel”. Sobre a seleção de obras, ele explicou que o objetivo era ir além da fase mais conhecida do artista, dos anos 60, em que ele pintou bananas e o teor político é bastante evidente. O conjunto conta com mais de setenta trabalhos, como Os Corpos e a Luz (1996), que mostram Amaral (1935-2015) investigando os limites de formas, sejam elas humanas ou não.

> Casa Triângulo. Rua Estados Unidos, 1324, Jardim Paulista, ☎ 3167-5621. Terça a sábado, 11h às 19h. Gratuito. Até 13 de novembro.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 29 de setembro de 2021, edição nº 2757

  • Continua após a publicidade
    Publicidade