Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Simonal

Tipos de Gêneros dramáticos: Cinebiografia, Drama
VejaSP:

Resenha por Miguel Barbieri Jr.

Seja Elis ou Tim Maia, Gonzagão ou Erasmo Carlos, os artistas brasileiros estão ganhando cinebiografias — e isso é ótimo! O problema, porém, está no formato. Mesmo dirigidos por cineastas distintos, os longas-metragens seguem um modelo com cara industrializada e sem personalidade. Simonal é o mais novo caso. Tem caprichada recriação de época, um protagonista que, apesar da falta de semelhança física, convence, e um roteiro alinhavado com altos e baixos do cantor. Vindo de um conjunto musical anônimo, Wilson Simonal (1938-2000), papel de Fabrício Boliveira, virou assistente de Carlos Imperial, foi descoberto por Miele e Bôscoli, gravou um disco, tornou-se conhecido como “o rei da pilantragem”. Casou-se com Tereza (Isis Valverde), teve filhos, ficou rico, brigou com seu contador, fez amizade com um agente do Dops e, no auge da ditadura, ganhou a pecha de dedo-­duro. Esse é o ponto polêmico de sua vida e o mais tumultuado do roteiro — o episódio é mais bem abordado no documentário Ninguém Sabe o Duro que Dei (2009). Direção: Leonardo Domingues (Brasil, 2018, 117min). 14 anos. Estreou em 8/8/2019.

    info
  • Direção: Leonardo Domingues
  • Duração: 105 minutos
  • Recomendação: 14 anos
  • País: Brasil
  • Ano: 2018
Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.