O Impressionismo e o Brasil

Resenha por Julia Flamingo

Desde o nome, a mostra O Impressionismo e o Brasil, em cartaz no MAM, já traz uma surpresa. Tradicionalmente, o movimento artístico é associado à França, onde surgiu, nos anos 1870. Mas também conquistou adeptos por aqui. A seleção do curador Felipe Chaimovich inclui artistas estudantes da Academia Imperial de Belas Artes, no Rio de Janeiro do século XIX, que foram pioneiros nesse gênero caracterizado por um tipo de pintura rápida, feita ao ar livre. Entre eles está Giovanni Battista Castagneto, autor de Enseada com Pedras e Canoas. Os visitantes ainda têm a chance de conferir oito bonitas telas de Pierre-Auguste Renoir (1841-1919), o principal nome do estilo ao lado de Monet. Exibidas logo na entrada, as obras mostram como a técnica que começou voltada para as paisagens também foi aplicada depois em retratos e naturezas-mortas. Até 27/8/2017.

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.