Coleção Domingos Giobbi — Arte, uma Relação Afetiva

Resenha por Jonas Lopes

Desde
2004, o 2º andar da Estação Pinacoteca hospedava o maravilhoso acervo amealhado
pelo casal José e Paulina Nemirovsky. Como
o conjunto deixou o museu para circular durante
alguns meses pelo estado, o espaço foi
ocupado por outra mostra de qualidade. As
115 obras da coletiva pertencem ao engenheiro
paulistano Domingos Giobbi. Além das
telas, esculturas e desenhos, ele se dedicou a
adquirir mobiliário do século XVIII, assim
como peças sacras datadas do século XVII ao
XIX — estatuetas de terracota e um precioso
grupo de santos de madeira. Os pintores modernistas
concentram as atenções. Há trabalhos
de Ismael Nery, Lasar Segall, Antonio
Gomide, Victor Brecheret e Di Cavalcanti. A
estrela, contudo, é Alfredo Volpi, de quem
Giobbi se tornou amigo em 1972. Constam na
seleção 21 pinturas do
artista, de bucólicas paisagens
do início da carreira
à famosa fase das
bandeirinhas, passando
por uma Madona realizada na década de 50.  Também
em cartaz na Estação
Pinacoteca: ✪✪✪
Arte Sacra na Coleção
Nemirovsky (objetos e
esculturas). Até 05/12/2010.

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.