Polícia

Testemunha identifica suposto motorista que fugiu após acidente

Preso nas ferragens, passageiro do carro morreu carbonizado em Pinheiros na madrugada desta segunda-feira (26)

Por: VEJA SÂO PAULO - Atualizado em

Acidente Pinheiros
Poste caiu sobre o carro, que pegou fogo na madrugada desta segunda-feira (26) (Foto: Edison Temoteo/Futura Press/Folhapress)

Uma testemunha identificou o suposto motorista do Volvo que bateu e derrubou um poste na Avenida Pedroso de Morais, em Pinheiros, na madrugada desta segunda-feira (26). Na colisão, o carro pegou fogo. Preso nas ferragens, o passageiro morreu carbonizado. Já o condutor conseguiu fugir. Pessoas que presenciaram o acidente afirmaram que o veículo estava em alta velocidade.

Em São Paulo, 22 cidades não registram homicídio desde 2001

Pela placa do carro, a polícia chegou até a identidade do empresário Mauricio Fittipaldi Morade, de 37 anos. Na delegacia, o segurança Renato Lima reconheceu por foto o motorista, que supostamente estaria embriagado. Policiais já procuram o homem, que está foragido. A perícia tenta agora reconhecer a vítima do acidente.

Na delegacia, familiares de Morade disseram que ele sofre de síndrome de pânico. Além disso, afirmaram que desconhecem o paradeiro do empresário. Na noite de hoje, após a análise de um vídeo do acidente, havia ainda dúvidas se a vítima não seria na verdade o próprio Morade. Apenas um exame de DNA solucionará a questão.

Grupo protesta contra falta de água em frente ao Bandeirantes

O caso

A colisão aconteceu por volta das 2h30 desta segunda-feira (26). De acordo com a Polícia Militar, o condutor perdeu o controle do veículo e bateu em um poste perto da Rua Alberto Faria. Um transformador fixado na estrutura de concreto caiu sobre o veículo e explodiu, causando o incêndio.

Ruas amanhecem interditadas por causa da queda de árvores

Acidente Pinheiros
Acidente aconteceu na Avenida Pedroso de Morais, perto da Rua Alberto Faria (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Folhapress)

Segundo Lima, o passageiro morreu na colisão. Ainda de acordo com a testemunha, o motorista ainda tentou retirar o corpo da vítima do veículo, mas o fogo se alastrou, impedindo o resgate.

Confira as últimas notícias

Na delegacia, Lima disse que Morade aparentava estar embriagado. “Ele saiu correndo quando os bombeiros chegaram.” Outra testemunha, Reinaldo Vieira Pinto, declarou que o suspeito retornou para o local dez minutos após o acidente, fingindo ser apenas um curioso. Entretanto, ao ser reconhecido, escapou novamente. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO