Meu estilo

Paola Oliveira: atração da novela das 6

Atriz, de 24 anos, cursou fisioterapia antes de se tornar conhecida por seu papel em Belíssima

Por: Alvaro Leme - Atualizado em

Até bem pouco tempo atrás, seriam grandes as chances de cruzar com a atriz Paola Oliveira pelas ruas da Penha, na Zona Leste, onde a hoje estrela da Rede Globo morou até virar famosa. Formada em fisioterapia, ela foi revelada em Belíssima e abocanhou o papel principal logo em sua segunda novela, O Profeta, atual atração do horário das 6.

O que a fama mudou na sua vida?

Hoje preciso ter uma preocupação maior com tudo. Se vou à padaria, por exemplo, tenho de estar bem para não acabar descontando um problema qualquer em cima de um fã. Também cuido muito das opiniões que dou numa entrevista e das roupas que visto.

Contratou uma personal stylist?

Tenho uma pessoa que me ajuda a escolher as roupas, a Dani Oliveira, do Rio. Quando comecei a fazer novela, ficava um pouco confusa com essa coisa de ter de vestir uma roupa para cada evento, de não poder repetir... Ligo para ela sempre que tenho dúvida.

Como reagiria se fosse parar numa lista de famosas mais malvestidas?

Olharia muito bem minhas roupas, para nunca mais usá-las. Não é agradável estar nessa linha de tiro, mas sei que é parte do meu trabalho. É um mal necessário.

Você deve ganhar muita roupa. Aceita todas?

Não. Dou uma filtrada no que recebo. Se for de uma marca que não tem a minha cara, arranjo uma desculpa e devolvo. Prefiro não correr o risco de parecer aproveitadora.

Que peça tem a sua cara?

Gosto muito de vestidos, porque são femininos (o da foto é da estilista Gloria Coelho). Nem precisa ser de festa, não. Curto os longos, os mais soltinhos... Além de tudo, é uma roupa confortável.

Posaria nua?

Um dia posso pagar pela língua, mas hoje falo que nunca faria. Não conseguiria. Como assim nua? Ficar pelada para todo mundo ver? Não! Por mais que fosse artístico, eu não ficaria à vontade.

Você costuma recusar fotos em poses sensuais. É medo de ficar rotulada?

É muito fácil ser rotulada como sensual. Quero que meu trabalho apareça, não o meu corpo. E, mesmo assim, entrei outro dia numa lista de famosas mais sexy. Isso sem tirar a roupa!

Que roupa não usa de jeito nenhum?

Saia muito curta. Sou como menino, desligada, e poderia ser fotografada numa pose chata. Também não me sinto bem de roupa muito colada.

De que parte do seu corpo gosta mais?

Acho que dos olhos. São uma parte muito expressiva.

E de qual gosta menos?

Dos meus pés, que são gordinhos. São uma parte do corpo muito maltratada, especialmente porque fiz balé. Tenho uns calos, prefiro que ninguém veja.

Já fez plástica?

Antes de Belíssima, fiz uma lipo na perna. Queria muito, porque sempre tive coxas grossas.

O que usa para dormir?

O que aparecer depois do banho. Pode ser blusa, short, camisetão ou pijama. Quero ficar confortável, não bonita. O namorado que agüente.

Sente falta da fisioterapia?

Sinto. Antes de fazer o teste para Belíssima, estava me preparando para um concurso público e para a prova da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD). Se minha carreira de atriz não der certo, volto sem problema. Mas hoje isso parece uma coisa mais distante.

Qual foi a maior saia-justa que encarou?

Nada constrangedor, na verdade. Aconteceram umas coisas bonitinhas, como no dia em que um senhor me deu um abacate. Estava num vôo do Rio para São Paulo, ele disse que me adorava e só tinha aquilo à mão para me presentear.

Faz dieta?

Como tenho um peso bom para a minha altura (52 quilos e 1,70 metro), malho e faço dieta apenas para manter a forma. O segredo é aprender a comer melhor. Se pudesse, comeria chocolate em todas as refeições. Aprendi a controlar esse desejo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO