Entrevista

Mariana Belém: música para homenagear irmão que morreu em acidente

Filha de Fafá de Belém, cantora lança seu primeiro CD em maio, após uma década de carreira

Por: Bruna Gomes - Atualizado em

Mariana Belém
Mariana Belém: ser filha de pais famosos ajuda e atrapalha (Foto: Fernando Moraes)

Depois de seis meses de trabalho e um intervalo por causa da morte do irmão por parte de pai, Rafael Mascarenhas, a cantora Mariana Belém volta ao batente e anuncia a retomada do projeto de seu primeiro CD. Filha de Fafá de Belém com o saxofonista Raul Mascarenhas, ela acaba de completar dez anos de carreira e anuncia — enfim!— o lançamento do primeiro álbum, “Eu, Mariana”, prometido para maio.

Como amostra do que vem por aí, a cantora liberou em seu hotsite a música “Tu”, do compositor paraense Almirzinho Gabriel, e pretende repetir o processo com outras faixas até o lançamento oficial. "A ideia é que as pessoas saibam o que vão encontrar no disco", explica a filha única de Fafá, atualmente com 31 anos.

A seguir, nosso papo com ela:

Veja São Paulo — Ser filha de pais famosos ajuda ou atrapalha? Mariana Belém — As duas coisas. Atrapalha porque algumas pessoas costumam julgar meu trabalho antes de ouví-lo e tenho de provar que ganho destaque pelo meu talento, e não por interferência deles. Ajuda pois acabo conhecendo pessoas importantes. Mas não reclamo, é muito prazeroso quando as coisas dão certo e recebo críticas positivas.

Veja São Paulo — Você incluiu no CD contribuições da sua família? Mariana Belém — Claro! Há uma música composta pela minha avó Carminha Mascarenhas, cantora de rádio, e a participação do meu pai tocando saxofone em cinco músicas. Além disso, minha mãe faz um dueto comigo. Não fujo desse negócio de família, tenho o maior orgulho.

Veja São Paulo — Há alguma música dedicada a seu irmão [Rafael, filho de Raul com Cissa Guimarães]?

Mariana Belém — Sim. A música “Quero Ter Você Perto de Mim”, gravada pelo Roberto Carlos, já estava programada para entrar no CD e achei perfeita para homenagear o Rafa. Se ela não se encaixasse tão bem no momento em que estou vivendo, teria gravado outra pra ele.

Veja São Paulo — Defina seu CD em uma frase. Mariana Belém — O título resume bem. “Eu, Mariana” é uma mistura do que sou e das influências musicais que recebi ao longo da vida.

Veja São Paulo — Qual é o seu maior sonho?

Mariana Belém — Viver da música até o fim da minha vida. Quero que as pessoas me ouçam sem pré-julgamentos e quero construir meu caminho como minha mãe fez.

Veja São Paulo — Você aceitaria substituir a Sandy como garota-propaganda daquela marca de cerveja? Mariana Belém — Nesse momento, não consigo nem pensar! A Sandy está perfeita no papel e lida muito bem com a crítica. Acredito que, para mim, não faria tanta diferença porque ainda não tenho rótulo como ela. Acho que depois da Sandy ninguém mais vai querer fazer esse papel. Sou fã dessa menina.

Fonte: VEJA SÃO PAULO