Cidade

Manifestantes caminham da Paulista ao Ibirapuera

O protesto contra a reeleição da presidente, iniciado no Vão Livre do Masp, contou com 1500 pessoas, de acordo com a PM

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Um protesto contra a reeleição da presidente Dilma Rousseff reuniu manifestantes na Avenida Paulista na tarde deste sábado (1). Eles caminharam rumo ao Ibirapuera, onde chegaram por volta das 17h10.

O cantor Lobão, que disse que sairia do país se Dilma ganhasse, chegou ao evento por volta das 15h45 e convocou as pessoas a irem para a rua, além de pedir o impeachment de Dilma por empréstimos a Cuba. O programa do governo federal Mais Médicos e uma intervenção militar também entraram na pauta de assuntos do protesto.

+ Veja o que acontece de mais importante na cidade

A polícia militar informou que havia mais de 1 500 pessoas participando do ato. Unidades fizeram o acompanhamento da manifestação. Os organizadores, porém, falaram em 4 000 manifestantes. Não houve ocorrências policiais.

Os gritos ouvidos por lá eram: "fora PT", "fora Cuba" e "fora Venezuela". Militantes do PT chegaram a ser expulsos  da multidão e o clima ficou tenso. Organizadores tentavam acalmar os ânimos. 

Panfletos que pedem a independência de São Paulo foram distribuídos por lá. Entre os discursos que chegavam do carro de som estava o do poeta Rubens de Souza Fernandes, de 75 anos. "a verdadeira corrupção é o PT e sua corja, liderada por Lula", disse. 

A caminhada seguiu para o Ibirapuera. Após interditar a Avenida Pedro Álvares Cabral, a aglomeração se dispersou em torno das 18h.

+ Saiba tudo sobre o novo estádio do Palmeiras

Fonte: VEJA SÃO PAULO