Gente

Luciana Gimenez fez ajustes na biografia de Mick Jagger

Para evitar processos, equipe da Editora Objetiva procurou a apresentadora para revisar suas menções na obra

Por: Ana Carolina Soares

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

A tradução em português da biografia Mick - A Vida Selvagem e o Gênio Louco de Jagger, do escritor americano Christopher Andersen, sobre o icônico vocalista dos Rolling Stones, deverá chegar às livrarias em janeiro com trechos diferentes em relação à versão original, lançada nos Estados Unidos em 2012.

Há alguns meses, a equipe da Editora Objetiva procurou Luciana Gimenez, mãe de Lucas, filho caçula do cantor Mick Jagger, para avaliar os 55 trechos em que ela é mencionada na obra. A apresentadora teria lido, não gostado e devolvido o arquivo com várias observações. Segundo pessoas próximas envolvidas no processo, foi um acordo cordial sem o envolvimento de advogados e a Objetiva pretende lançar no Brasil essa versão revisada por ela.

+ Chico Buarque opina sobre biografias, diz que foi censurado pela Globo e provoca polêmica na web

"A editora decidiu transmitir ao autor as restrições dos representantes de Luciana Gimenez sobre os trechos do livro nos quais ela é citada", afirma a assessoria de imprensa da Objetiva, em nota.

Essa precaução surgiu depois que advogados da apresentadora exigiram e conseguiram retratações de declarações do autor e de matérias sobre o livro publicadas pelo jornal Daily Mail, além dos cuidados com os precedentes referentes à interdição de biografias no Brasil.

"Se houver alteração no texto original, será unicamente por esta razão e com a concordância do autor. Independentemente deste processo, o texto final do livro não será submetido à aprovação de terceiros", completa a nota.

+ Desembargador nega pedido de João Gilberto para o recolhimento de biografia não autorizada

Um exemplo de uma das supostas edições da apresentadora estaria incluso no capítulo em que o autor diz que Lucas Jagger teria sido gerado na mesma noite em que Luciana e Mick se conheceram, numa festa na casa do empresário Olavo Monteiro de Carvalho, no Rio de Janeiro, em abril de 1998.

A questão é que o menino nasceu em maio de 1999, ou seja, um ano e um mês após o primeiro encontro. Em outro trecho, Andersen menciona que Luciana parou de tomar anticoncepcionais porque desejava ser mãe e tinha esperança de que Jagger largaria sua esposa na época, a modelo Jerry Hall.

Essa história foi contada no livro por Lars Albert, que morava com a apresentadora na época, um dos entrevistados de Andersen. Luciana teria ficado perplexa porque nunca pôde usar pílula por motivos de saúde e não era tão amiga assim de Albert a ponto de fazer confidências.

Agora, depois de ter "canetado" seus esclarecimentos na biografia de Jagger, ela estaria à espera do lançamento da obra para ver se o acordo foi mesmo cumprido. Só depois disso, vai avaliar as providências. Procurada pela reportagem, a assessoria da apresentadora não quis se pronunciar.

+ Confira as principais notícias da cidade

Fonte: VEJA SÃO PAULO