Internet

Lia Camargo: da Zona Leste para Nova York

A paulistana que viaja o mundo sem gastar um tostão graças ao seu endereço na web

Por: Ricky Hiraoka [colaborou Daniel Bergamasco] - Atualizado em

Just Lia
Lia Camargo: apartamento no alto da Lapa e viagens para o Rio de Janeiro e Paris (Foto: Fernando Moraes)

Só neste ano, Lia Camargo esteve em Porto Alegre, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Paris e Nova York — e sem gastar um tostão. Viajou com as despesas pagas por empresas que a contrataram para ações de marketing. Desde 2000, ela mantém o blog Just Lia, em que fala de moda, beleza e cultura, e foi uma das pioneiras a ganhar dinheiro com posts patrocinados. “Sempre tive boa audiência porque estou na web desde o fim dos anos 90”, explica.

A paulistana de 29 anos ganhou notoriedade na adolescência criando sites para personagens cultuados, como a Hello Kitty. “Achava que o máximo que teria com a internet seria reconhecimento.” Além de grifes de moda e beleza, Lia consegue atrair marcas de carros, produtos de limpeza e comida. “Como falo um pouco do meu cotidiano como dona de casa nos posts, as leitoras não se sentem ofendidas quando divulgo algo que não está relacionado ao mundo fashion”, diz. Com faturamento mensal que varia de 10 000 a 60 000 reais, ela saiu da casa dos pais no Parque São Rafael, na Zona Leste, e se mudou para um apartamento no Alto da Lapa. A transformação não parou por aí. “Passei a ser mais vaidosa e me vestir melhor, além de ter aprendido a me socializar e fazer contato com possíveis parceiros comerciais.”

justlia.com.br

Mote: dicas de moda e beleza

Audiência: 2,5 milhões de visualizações em abril

+ Os jovens que fazem barulho (e dinheiro) com blogs na rede

+ Lala Rudge: guarda-roupa poderoso

+ Emerson Viegas e Jaqueline Barbosa: sem pudor de correr atrás dos sonhos

+ Phelipe Cruz: divertido, só o conteúdo

+ Guilherme Valadares: longe do papo de borracharia

+ Marcelo Cidral: piada até para falar sério

+ Eduardo Camargo e Filipe Oliveira: os posts que viraram papel

+ Mauricio Cid: Caçador de hits

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO