Criminalidade

Homem é achado morto em prédio na Paulista

O tradutor Agnaldo Jesuíno tinha marcas de agressão pelo corpo. Ele vivia há mais de vinte anos com o americano Kraig Blaut

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Prédio Paulista
Prédio na Paulista onde tradutor foi encontrado morto (Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Folhapress)

Um homem de 49 anos foi encontrado morto na tarde de quinta (21) dentro de um apartamento em um prédio residencial na Avenida Paulista, região central.

O tradutor Agnaldo Jesuíno morava com o americano Kraig Blaut, de 54 anos em um edifício na esquina da Rua Pamplona com a Avenida Paulista, nos Jardins. O corpo tinha marcas de agressão.

+ Bebê que foi encontrado em lixeira passa bem

Klaubt  afirmou que vivia com Agnaldo há mais de vinte anos. Segundo informou à polícia, no último domingo eles estiveram em um bar em Pinheiros para comemorar o aniversário de Agnaldo. No local, beberam até perderem a consciência. Klaubt disse ter dormido em uma rua próxima ao bar. Ao acordar, por volta das 2h30, estava sozinho.

Ainda de acordo com seu depoimento, Agnaldo só voltou para casa dois dias depois e afirmou que havia sido agredido e que, por causa dos ferimentos, acabou socorrido na Santa Casa de São Paulo. Kraig disse à polícia que, naquela noite, decidiu dormir na sala para não ser incomodado com os ruídos causados por Agnaldo. Ao entrar no quarto pela manhã viu o companheiro morto, disse aos políciais. 

+ Confira as últimas notícias

De acordo com a polícia, o estado em que estava o corpo da vítima indica que a morte deve ter acontecido na quinta-feira mesmo. A Polícia Militar informou que foi acionada para atender a ocorrência por volta das 13h30 e a Polícia Civil, cerca de uma hora e meia depois.

O caso foi registrado no 78º DP (Jardins). Agora, a polícia aguarda um exame necroscópico para determinar a causa da morte. (Com Estadão Conteúdo)

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO