Arte & design

Série colorida

Diretor artístico da Hermès e neto do criador do primeiro carré, Robert Dumas, Pierre-Alexis Dumas explica por que escolheu Hiroshi Sugimoto para a terceira coleção limitada da Hermès Éditeur

Por: Simone Esmanhotto - Atualizado em

Por que Hiroshi Sugimoto?

As séries fotográficas Seascapes e Lighting Fields foram para mim um verdadeiro choque estético. Além disso, Sugimoto explora o artesanato para estabelecer um diálogo criativo entre história, tradição e o hoje. Ecoa a filosofia da Maison Hermès. Nessa edição dos lenços, ele se inspira nas experiências científicas de Newton e  Goethe sobre a cor: a decomposição da luz, sua captação e o impacto emocional delas no ser humano. Um fenômeno concreto materializado e sublimado por Hiroshi Sugimoto em uma infinidade de imagens abstratas.

Quais os desafios para estampar as obras de Sugimoto em seda?

Levamos tempo para ajustar as cores e o degradê de cada Polaroid e regular as máquinas de impressão para conseguir o enquadramento. Fizemos numerosos testes de impressão antes de chegarmos ao resultado desejado. No final, optamos pela impressão a jato de tinta, a única técnica que permite reproduzir fielmente sobre a seda esses degradês. Mas foi apenas um instrumento, o olho e a mão de nossos artesãos estavam lá a cada instante para garantir o resultado.

Por que investir em projetos como Hermès Éditeur?

Pedir que realizem proezas é uma maneira de fazer com que continuem aprendendo e progredindo. Para a próxima geração, haverá uma nova camada de conhecimentos.

Depois de Josef Albers, Daniel Buren e Hiroshi Sugimoto, quem será o próximo artista a assinar um carré de edição limitada?

O projeto Hermès Éditeur é fora das coleções. Ou seja, ele não está submetido ao calendário da moda. É essa a sua força e a sua singularidade. A escolha dos artistas convidados se faz ao longo do caminho, guiada pela intuição, pelo instinto e pelo desejo mútuo de trabalhar junto.

Fonte: VEJA SÃO PAULO