Trânsito

Como ficou o tráfego na Marginal Tietê após o bloqueio de pontes

Com o objetivo de avaliar o impacto das intervenções, percorremos a via de ponta a ponta em três horários

Por: Daniel Salles - Atualizado em

Como ficou o tráfego na Marginal Tietê após o bloqueio de pontes Foto 3
(Foto: Veja São Paulo)

O que já era ruim por enquanto ficou pior. Para que sejam tocadas as obras de construção da nova pista central da Marginal Tietê, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) interditou acessos e faixas das pontes da Freguesia do Ó, Casa Verde e Jânio Quadros. Em novembro, partes das pontes do Limão e das Bandeiras também serão bloqueadas. Essas mudanças devem perdurar até o início do ano que vem. Nesse período, quem trafega diariamente pela marginal poderá contar com seis das onze pontes existentes para cruzar o rio. Com o objetivo de avaliar o impacto das intervenções, percorremos a via de ponta a ponta em três horários na terça passada, assim que as mudanças foram implementadas.

Entramos no carro da reportagem por volta das 8 horas, em Pinheiros. Embora as ruas próximas à Ceagesp estivessem abarrotadas de veículos, passamos pelo Cebolão, na Zona Oeste, às 8h16, a uma velocidade média de 70 quilômetros por hora. As emissoras de rádio alardeavam as novidades para os motoristas, que, talvez temendo horas e horas no trânsito, eram poucos nas duas pistas. Com exceção de pequenas placas afixadas a poucos metros das pontes bloqueadas, não havia sinalização informando sobre as interdições. Mas tivemos de reduzir a marcha apenas ao cruzar a alça de acesso para a Rodovia dos Bandeirantes e a Ponte da Casa Verde. Durante a maior parte do trajeto, dirigimos próximo ao limite de velocidade. Foram necessários 24 minutos para chegarmos ao início da Rodovia Ayrton Senna, na Zona Leste. Já a volta não foi tão tranquila. Rodando a uma velocidade média de 30 quilômetros por hora, ficamos no máximo dois minutos e vinte segundos em movimento. Dava para ver que quem não tinha ar-condicionado no carro sofria com o calor e a fuligem lançada pela interminável fila de caminhões. Gastamos então uma hora e 49 minutos para retornar ao Cebolão.

A região do Sambódromo, às 9h30

Todos os dias, 1,2 milhão de motoristas trafegam pela Marginal Tietê. Na manhã de terça, a lentidão na via aumentou 31%. Vinte de seus 24 quilômetros ficaram entupidos nos dois sentidos (a média do horário é de 15 quilômetros atravancados). Atualmente, o número total de faixas da marginal varia de seis a sete, dependendo do trecho. Quando a obra for terminada, a maior parte do percurso terá dez faixas. A inauguração está prometida para março de 2010 e a expectativa é que os engarrafamentos sejam reduzidos em 12% ao longo do Tietê e em até 20% no seu entorno. Estava prevista para a última sexta (23) a abertura de dois trechos da nova pista no sentido Cebolão, com 3,4 quilômetros.

Orçada em 1,9 bilhão de reais, a obra pretende ainda diminuir pela metade a média diária de seis acidentes. A construção de quatro pontes e de três alças de acesso também está programada. ‘Essas mudanças trarão maior fluidez para o trânsito, mas atrairão motoristas que hoje buscam rotas alternativas’, afirma o consultor em engenharia de tráfego e transportes Horácio Augusto Figueira. ‘ O problema é que, enquanto o trecho norte do Rodoanel não for construído, os 150 000 caminhões que atravessam a cidade diariamente vão continuar na marginal ’, acredita Jaime Waisman, professor de engenharia da Universidade de São Paulo e consultor na área de transportes.

O acesso interditado à Ponte Presidente Jânio Quadros

Voltamos à Marginal Tietê às 13h08, confiantes em que, nesse horário, ela estaria livre. Demoramos, no entanto, 41 minutos para chegar à Rodovia Ayrton Senna e 46 minutos para retornar ao Cebolão. Foi impossível acelerar por mais de quatro minutos seguidos. Pela primeira vez no dia, deparamos com vendedores ambulantes e caminhões quebrados (a interdição de uma única faixa na marginal por apenas quinze minutos provoca, em média, 3 quilômetros de fila). Repetimos o trajeto às 18h27, quando mais de 28 quilômetros estavam entupidos, nos dois sentidos. Resultado: uma hora e 22 minutos para concluirmos o trajeto de ida e 55 minutos para o de volta. É provável que a situação piore à medida que o fim do ano se aproxima, já que o trânsito é 40% mais carregado às vésperas das festas. ‘ O impacto dos bloqueios na vida dos paulistanos será enorme ’, diz Waisman. ‘ Mas ao menos eles têm prazo para terminar. ’

TESTE DA PACIÊNCIA

Percorremos os 24 quilômetros da Marginal Tietê na última terça-feira (20). Veja quanto tempo gastamos para ir do Cebolão ao início da Rodovia Ayrton Senna e retornar

HORÁRIO IDA VOLTA

8h16 24 minutos 1h49

13h08 41 minutos 46 minutos

18h27 1h22 55 minutos

 

O taxista Josué Alves aguarda passageiros próximo à Ponte da Freguesia do Ó há uma década. Ele tem esperança de que o trânsito vá diminuir quando

as novas faixas da via forem inauguradas. " Sem engarrafamentos, serei bem

mais requisitado, já que as corridas ficarão mais baratas".

" Se o trânsito melhorar, mais veículos passarão por aqui, meu trabalho será maior e o salário, o mesmo ", reclama o frentista Ciro Rodrigues, que costuma abastecer 150 carros em oito horas.

O ambulante Severino dos Santos, que fatura cerca de 20 reais diários vendendo água, refrigerante e amendoim, adora um congestionamento. "Às sextas, quando tudo para, ganho o dobro ".

Apesar de passar o dia dirigindo, Delvair Brandão não precisa pegar trânsito. Manobrista de uma churrascaria da marginal, ele acha que as novas faixas não vão diminuir o caos da região. ' Isso só atrairá mais carros ', diz ele, prevendo trabalho dobrado

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO